terça-feira, 31 de maio de 2011

Por que tudo é um questão de fé

Foto François Benveniste

Brasileiros dão nota 4,55 à Justiça

Estudo do Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas (Ipea) divulgado nesta terça-feira (31) atribui nota média 4,5, numa escala de zero a dez, para as instituições do Judiciário. O levantamento ouviu 2.722 pessoas de perfis variados em todas as regiões.

O Ipea constatou que a avaliação "negativa" aparece nas diferentes faixas de idade, renda, sexo, escolaridade e região. A intenção do instituto foi verificar a percepção do cidadão sobre a Justiça.

“A relativa fragilidade na imagem pública da Justiça é generalizada na população e tende a ser mais negativa entre os que buscaram ativamente a Justiça para a resolução de conflitos ou a realização de direitos”, afirma o estudo.

O presidente da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), Nelson Calandra, afirmou nesta terça que a lentidão é um dos grandes problemas do Judiciário e atribuiu a morosidade ao número de recursos disponíveis.

Estudo

Segundo a pesquisa, na média nacional, as piores avaliações dos entrevistados são as dos quesitos rapidez, imparcialidade e honestidade. Numa escala de 0 a 4, o item rapidez teve o pior conceito (1,19), seguido pelos tópicos imparcialidade e honestidade, que receberam 1,18. Essas notas, de acordo com o estudo, correspondem ao conceito “mal”. Em nenhum item a Justiça alcançou o conceito “regular”.

Os entrevistados também avaliaram separadamente instituições e representantes da Justiça, como juízes, policiais, promotores, defensores públicos e advogados.

De acordo com o estudo, a Polícia Civil dos estados e do Distrito Federal recebeu nota 1,81 (numa escala de 0 a 4), a mais baixa entre os avaliados e que pode significar, segundo o Ipea, “desconfiança” da população sobre as investigações.

Para a atuação dos juízes, a nota foi de 2,14 (numa escala de 0 a 4). O melhor conceito foi dado a promotores e à Polícia Federal (2,20).

Para os pesquisadores, esse resultado se deve à divulgação das operações da PF. “Este desempenho tem caráter intuitivo, tendo em vista o alto grau de exposição, geralmente com conotação positiva, de que desfrutaram as operações da Polícia Federal na mídia no passado recente”, afirmam os pesquisadores no levantamento.

Conflitos

A pesquisa também buscou descobrir em que situações o cidadão brasileiro recorre à Justiça.

As respostas mostraram que a probabilidade de se buscar uma saída judicial é maior em casos criminais.

Segundo o Ipea, a possibilidade de se recorrer à Justiça é reduzida quando se trata de negócios entre empresas, cobranças de impostos e demandas sociais, como direitos previdenciários.

A menor probabilidade de se chegar aos tribunais é nas questões de família, consideradas pelos entrevistados as mais importantes numa lista de 13 problemas.

No estudo, os pesquisadores do Ipea afirmam que o objetivo foi apenas verificar percepções e não fazer análises quantitativas, nem qualitativas desses dados.


Matéria do G1


segunda-feira, 30 de maio de 2011

O blogger nunca esteve tão instável desse jeito. Agora foram os seguidores que sumiram da lateral da página. Vamos tentar resolver mais esse probleminha meus amigos!

McCartney - Tug of War

"E eu vos declaro marido e marido"

Você sabia?

* Que 60% da população brasileira é contra o casamento gay.
* Que 35% são a favor e 5% não souberam opinar a respeito.

Entretanto, nos Tribunais 1.026 processos em todo o país já reconheceram a união entre pessoas do mesmo sexo.


Fonte: Revista Super Interessante, Ed 291, Maio/2011


domingo, 29 de maio de 2011


(...) há entre o homem e o tempo,
contradições bem fatais:
o tempo faz e não diz,
o homem diz e não faz;
o homem traz e não leva,
o tempo leva e não traz!

(...)

Josué da Cruz, poeta repentista, filósofo popular!

Mãe natureza

É impressionante como a vida, para algumas pessoas, se resume a pequenos "dramas teatrais". Atos que elas encenam, que representam, que se engalfiam, se doam e que se sacrificam na vida real num palco onde a relação entre as pessoas são substituídas por relaçãoes entre coisas.

Mazelas teatrais da natureza humana, com o devido respeito ao teatro e a natureza, claro!

Mais uma do Joãozinho

Quantos testículos nós temos?


Na aula de biologia, o professor pergunta:
- Joãozinho! Quantos testículos nós temos?
- Quatro professor - responde o menino sem pestanejar.
- Quatro? Você ficou doido?
- Bem... Pelo menos os meus dois eu garanto!

O que faz o medo

"Num país em guerra havia um rei que causava espanto. Sempre que fazia prisioneiros, não os matava: levava-os a uma sala onde havia um grupo de arqueiros de um lado e uma imensa porta de ferro do outro, sobre a qual viam-se gravadas figuras de caveiras cobertas por sangue.

Nesta sala ele os fazia enfileirar-se em círculo e dizia-lhes, então:

- Vocês podem escolher entre morrerem flechados por meus arqueiros ou passarem por aquela porta e por mim serem lá trancados.

Todos escolhiam serem mortos pelos arqueiros.

Ao terminar a guerra, um soldado que por muito tempo servira ao rei dirigiu-se ao soberano:

- Senhor, posso lhe fazer uma pergunta?

- Diga, soldado.

- O que havia por detrás da assustadora porta?

- Vá e veja você mesmo.

O soldado, então, abre vagarosamente a porta e, à medida que o faz, raios de sol vão adentrando e clareando o ambiente...

E, finalmente, ele descobre surpreso, que... a porta se abria sobre um caminho que conduzia à LIBERDADE!!!

O soldado, admirado, apenas olha seu rei, que diz:

- Eu dava a eles a escolha, mas preferiram morrer a arriscar-se a abrir esta porta."

(Autor não identificado)

***

Quantas portas deixamos de abrir pelo medo de arriscar?

Quantas vezes perdemos a liberdade e morremos por dentro, apenas por sentirmos medo de abrir a porta de nossos sonhos?

Pense nisso... sem medo de abrir novas portas!!!

Soneto da Virgem

Foto Artem Koshmarov

Passei ontem a noite junto dela.
Do camarote a divisão se erguia
Apenas entre nós – e eu vivia
No doce alento dessa virgem bela…


Tanto amor, tanto fogo se revela
Naqueles olhos negros! só a via!
Música mais do céu, mais harmonia
Aspirando nessa alma de donzela!

Como era doce aquele seio arfando!
Nos lábios que sorriso feiticeiro!
Daquelas horas lembro-me chorando!

Mas o que é triste e dói ao mundo inteiro
É sentir todo o seio palpitando…
Cheio de amores! e dormir solteiro!


Àlvares de Azevedo

Cidade paraibana promete dar "rasteira" em Londres com realização de casamento real

Passados quase 30 dias que os olhos do mundo se voltaram para a Abadia de Westminster, para acompanhar uma das maiores cerimônias de casamento do século, envolvendo a plebéia Kate Middleton e o Príncipe William, mais um grande acontecimento histórico do mundo da monarquia deve chamar a atenção da imprensa mundial.

Cabaceiras ou caso queiram, a Roliúdi Nordestina, localizada no Cariri paraibano, a 166 Km de João Pessoa, promete superar o “assustadozinho”, nos dias 3, 4 e 5 de junho, que fizeram mês passado em Londres, a começar pelo número de convidados.

No casamento de William e Kate, o número de convidados foi limitado a 1.900 pessoas, enquanto o cerimonial da Realeza Roliúdiana já encaminhou 50 mil convites oficiais via e-mail, Twitter, Facebook e outras redes sociais, aos súditos espalhados por todo o país.

Em sua XIII edição, o Festival de Caprinos e Ovinos da Paraíba – Festa do Bode Rei -, terá como um das principais atrações a cerimônia do Casamento Real entre o Bode Rei e a plebéia Cabrinha Leite.

A cerimônia será para 20 mil convidados, regados a um banquete bodístico e, ao invés daquelas valsas sem sal da “Orquestra Sinfônica de Londres”, uma “Orquestra Sanfônica de Longe” promete que o suor vai dar na canela, durante as 12 horas de festa, numa noite dançante ao som do mais fino forro pé-de-serra.

O cortejo real será conduzido por uma procissão de charretes e cavaleiros do Bode Rei e terá a participação da Banda Filarmônica Real e de uma dupla de violeiros de projeção Roliudiana.

O cortejo sairá do Parque do Bode, passando em frente a Praça do Bode e seguindo para o Arraial do Bode onde acontecerá a cerimônia. O trajeto por onde os príncipes recém casados, a caravana real e toda a nobreza Roliúdiana irão percorrer, tem cerca de 500 metros e poderá ser acompanhado de perto por milhares de pessoas, além de centenas de agentes do Serviço Secreto Real infiltrados no meio da multidão, para garantir a segurança da Família Real.

Todos os detalhes da cerimônia do casamento do século serão transmitidos ao vivo pela TV Cabaçal e a expectativa é a de que o evento deva alcançar a marca de 4 bilhões de telespectadores em todo o mundo, superando os 2 bilhões de telespectadores que acompanharam o casamento de “Williamzin” e “Keitinha”.

Para os incrédulos que possam querer duvidar da proeza da Família Real Roliúdiana, basta lembrar que foi em Cabaceiras que foi realizado o primeiro e único funeral canino, mais conhecido como “enterro da cachorra” com as bênçãos do Bispo e do Padre local, na minissérie “Auto da Compadecida”.



Reportagem de Chico Lobo e publicada em www.clickpb.com.br

Em panfleto, Governo associa Saci ao crack

Um panfleto do governo paulista para alertar usuários de crack sobre os perigos da nova droga óxi usa uma imagem do personagem Saci, de cachimbo na boca, desenhada pelo cartunista Ziraldo.

Produzido pela Secretaria da Saúde, o panfleto traz, ao lado da imagem do Saci, a frase "Nem tudo é o que parece...", aludindo à confusão que usuários fazem entre as drogas, vendidas em forma de pedra.

De acordo com o governo, o material foi feito com base nas experiências com usuários de crack, que têm o costume de chamar uns aos outros de "sacizeiros".

O agente de Ziraldo, Mario Gasparotti, diz que ele desconhecia o contexto em que o desenho de seu Saci foi usado e que o estúdio jamais liberaria uso da imagem nesse contexto.

A informação é de reportagem de Reynaldo Turollo Jr., publicada na Folha deste sábado.


sábado, 28 de maio de 2011

“Grandes mentes debatem sobre idéias, mentes medianas debatem sobre eventos, mentes pequenas debatem sobre pessoas.”  (Autor não identificado)

- Fique longe de mentes pequenas. Elas não mudam, não crescem, não sobem. E o que é pior: elas querem que você desça!!

1981. Quero quero - Cláudio Nucci

.
“Durante três horas cada dia, deus se dedica a julgar o mundo inteiro. Quando ele vê que o mundo merece ser destruído porque o mal nele prevalece, ele se levanta do trono da Justiça para sentar-se no trono da misericórdia".

Década de 70 - Majority One

Fim da operação Carcará em Pombal-PB

Na manhã de hoje, o 16° Regimento de Cavalaria Mecanizada do Exército brasileiro encerrou os treinamentos da operação Carcará em Pombal-PB com um desfile da tropa pelas principais ruas da cidade.

Durante toda a semana os exercícios militares consistiram em simular o combate a tropas inimigas, de dia ou de noite, especificamente a bases espalhadas por toda a cidade e que contou com aproximadamente 350 homens, além de blindados e viaturas militares.

Ao final do desfile deste sábado (28.05.11), a criançada pôde entrar nos blindados.











Aqui, o meu pequeno Yan "liderando" o blindado

Acabei de ler a resenha do novo livro do antropologo Claude Levi Strauss e me pareceu bastante interessante.

Trata o livro de uma coleção de textos sobre o Japão, país que o autor descobriu aos cinco anos quando ganhou do pai, pintor, uma estampa de Hiroshigue.

A resenha pode ser lida Aqui
Estamos enfrentando vários problemas com o blogger e que parece ser problemas também enfrentados com os blogs, a exemplo do desaparecimento da lista de seguidores e da página inicial do index indisponível para postagens. Esatmos tentando solção para o problema junto ao fórum de ajuda.

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Meus sobrinhos Lucas e Camile Lanai na singela inauguração do novo escritório de advocacia do Pai Djonierison, ocorrido na tarde de hoje.

Charge - Chico Caruso

O mosteiro de Ágia Tríade, ou da Santíssima Trindade, faz parte do conjunto de "monastérios suspensos" de Meteora, e fica no alto do rochedo de formato mais curioso daquela região, na planície da Tessália, na Grécia.

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Na década de 80 Lane Brody povoava as nossas noites na velha AEUP

O tempo e as jabuticabas


Contei meus anos e descobri que terei menos tempo para viver daqui para frente do que já vivi até agora. Sinto-me como aquela menina que ganhou uma bacia de jabuticabas. As primeiras, ela chupou displicente, mas percebendo que faltam poucas, rói o caroço.

Já não tenho tempo para lidar com mediocridades.Não quero estar em reuniões onde desfilam egos inflados. Não tolero gabolices. Inquieto-me com invejosos tentando destruir quem eles admiram, cobiçando seus lugares, talentos e sorte.

Já não tenho tempo para projetos megalomaníacos.Não participarei de conferências que estabelecem prazos fixos para reverter a miséria do mundo. Não quero que me convidem para eventos de um fim de semana com a proposta de abalar o milênio.

Já não tenho tempo para reuniões intermináveis para discutir estatutos, normas, procedimentos e regimentos internos. Já não tenho tempo para administrar melindres de pessoas,que apesar da idade cronológica, são imaturos.

Não quero ver os ponteiros do relógio avançando em reuniões de 'confrontação', onde 'tiramos fatos a limpo'. Detesto fazer acareação de desafetos que brigaram pelo majestoso cargo de secretário geral do coral. Lembrei-me agora de Mário de Andrade que afirmou: 'as pessoas não debatem conteúdos, apenas os rótulos'.

Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos, quero a essência, minha alma tem pressa...

Sem muitas jabuticabas na bacia, quero viver ao lado de gente humana, muito humana; que sabe rir de seus tropeços, não se encanta com triunfos, não se considera eleita antes da hora, não foge de sua mortalidade, defende a dignidade dos marginalizados, e deseja tão somente andar ao lado do que é justo.

Caminhar perto de coisas e pessoas de verdade, desfrutar desse amor absolutamente sem fraudes, nunca será perda de tempo.'

O essencial faz a vida valer a pena.


Rubem Alves
...a vida, em momentos, nos parece um pequeno balão, cá dentro uma redoma que a tudo alcançamos, lá fora, a realidade que a tudo esperamos! Vá se entender essa vida...

*O bêbado, o padre e a artrite

Num ônibus, um padre sentou-se ao lado de um bêbado que, com dificuldade, lia o jornal. De repente, com a voz 'empastada', o bêbado perguntou ao padre:
- O senhor sabe o que é artrite?

O pároco logo pensou em aproveitar a oportunidade para passar um sermão no bêbado e respondeu:
- É uma doença provocada pela vida pecaminosa e sem regras: excesso de consumo de álcool, certamente mulheres perdidas, promiscuidade, sexo, farras e outras coisas que nem ouso dizer.

O bêbado arregalou os olhos, calou-se e continuou lendo o jornal.

Pouco depois o padre, achando que tinha sido muito duro com o bêbado,
tentou amenizar:
- Há quanto tempo o senhor está com artrite?
- Eu?... Eu não tenho artrite!... Diz o jornal que quem tem é o Papa !


*Mais uma repassada por e-mail pela amiga Josélia

Antes que elas cresçam

Há um período em que os pais vão ficando órfãos dos próprios filhos.

É que as crianças crescem. Independentes de nós, como árvores, tagarelas e pássaros estabanados, elas crescem sem pedir licença. Crescem como a inflação, independente do governo e da vontade popular. Entre os estupros dos preços, os disparos dos discursos e o assalto das estações, elas crescem com uma estridência alegre e, às vezes, com alardeada arrogância.

Mas não crescem todos os dias, de igual maneira; crescem, de repente.

Um dia se assentam perto de você no terraço e dizem uma frase de tal maturidade que você sente que não pode mais trocar as fraldas daquela criatura.

Onde e como andou crescendo aquela danadinha que você não percebeu? Cadê aquele cheirinho de leite sobre a pele? Cadê a pazinha de brincar na areia, as festinhas de aniversário com palhaços, amiguinhos e o primeiro uniforme do maternal?

Ela está crescendo num ritual de obediência orgânica e desobediência civil. E você está agora ali, na porta da discoteca, esperando que ela não apenas cresça, mas apareça. Ali estão muitos pais, ao volante, esperando que saiam esfuziantes sobre patins, cabelos soltos sobre as ancas. Essas são as nossas filhas, em pleno cio, lindas potrancas.

Entre hambúrgueres e refrigerantes nas esquinas, lá estão elas, com o uniforme de sua geração: incômodas mochilas da moda nos ombros ou, então com a suéter amarrada na cintura. Está quente, a gente diz que vão estragar a suéter, mas não tem jeito, é o emblema da geração.

Pois ali estamos, depois do primeiro e do segundo casamento, com essa barba de jovem executivo ou intelectual em ascensão, as mães, às vezes, já com a primeira plástica e o casamento recomposto. Essas são as filhas que conseguimos gerar e amar, apesar dos golpes dos ventos, das colheitas, das notícias e da ditadura das horas. E elas crescem meio amestradas, vendo como redigimos nossas teses e nos doutoramos nos nossos erros.

Há um período em que os pais vão ficando órfãos dos próprios filhos.

Longe já vai o momento em que o primeiro mênstruo foi recebido como um impacto de rosas vermelhas. Não mais as colheremos nas portas das discotecas e festas, quando surgiam entre gírias e canções. Passou o tempo do balé, da cultura francesa e inglesa. Saíram do banco de trás e passaram para o volante de suas próprias vidas. Só nos resta dizer “bonne route, bonne route”, como naquela canção francesa narrando a emoção do pai quando a filha oferece o primeiro jantar no apartamento dela.

Deveríamos ter ido mais vezes à cama delas ao anoitecer para ouvir sua alma respirando conversas e confidências entre os lençóis da infância, e os adolescentes cobertores daquele quarto cheio de colagens, posteres e agendas coloridas de pilô. Não, não as levamos suficientemente ao maldito “drive-in”, ao Tablado para ver “Pluft”, não lhes demos suficientes hambúrgueres e cocas, não lhes compramos todos os sorvetes e roupas merecidas.

Elas cresceram sem que esgotássemos nelas todo o nosso afeto.

No princípio subiam a serra ou iam à casa de praia entre embrulhos, comidas, engarrafamentos, natais, páscoas, piscinas e amiguinhas. Sim, havia as brigas dentro do carro, a disputa pela janela, os pedidos de sorvetes e sanduíches infantis. Depois chegou a idade em que subir para a casa de campo com os pais começou a ser um esforço, um sofrimento, pois era impossível deixar a turma aqui na praia e os primeiros namorados. Esse exílio dos pais, esse divórcio dos filhos, vai durar sete anos bíblicos. Agora é hora de os pais na montanha terem a solidão que queriam, mas, de repente, exalarem contagiosa saudade daquelas pestes.

O jeito é esperar. Qualquer hora podem nos dar netos. O neto é a hora do carinho ocioso e estocado, não exercido nos próprios filhos e que não pode morrer conosco. Por isso, os avós são tão desmesurados e distribuem tão incontrolável afeição. Os netos são a última oportunidade de reeditar o nosso afeto.

Por isso, é necessário fazer alguma coisa a mais, antes que elas cresçam.


Affonso Romano de Sant'Anna



Foto Sanvean
"...porque eu, o Senhor , amo a equidade, detesto o fruto da rapina; por isso vou dar-lhes fielmente sua recompensa, e concluir com eles uma aliança eterna(...)"

Isaías 61:8

Estamos de volta!

Problemas técnicos

Estamos,temporariamente, com alguns problemas técnicos com o servidor o que tem dificultado a atualização do blog, mas já estamos trabalhando para solução do problema!

Espere só um pouquinho!!!

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Noites Loucas — Noites Loucas!
Estivesse eu contigo
Noites Loucas seriam
Nosso luxuoso abrigo!

Para Coração em porto —
Ventos — são coisas fúteis —
Bússolas — dispensáveis —
Portulanos — inúteis!

Navegando em pleno Éden —
Ah, o Mar!
Quem dera — esta Noite — em Ti
Ancorar!


Emily Dickinson

I'd love you to want me

“Há dois tipos de pessoas: as que fazem as coisas e as que ficam com os louros. Procure ficar no primeiro grupo: há menos competição lá.”


(Indira Gandhi)

domingo, 22 de maio de 2011

MPB4 - A Lua

Não está fácil! Ando tentando colocar em dia a leitura, administrar o tempo e fazer os exercício fisicos diários! Não tá fácil! Alguma sugestão???

O jeito é continuar rindo...

Um casal está comemorando o 60º aniversário de casamento, com um jantar em um pequeno restaurante no campo. O marido se inclina e pergunta para a esposa:

- Meu bem, você se lembra da nossa primeira vez, há sessenta anos atrás? Nós fomos para a parte de trás do restaurante, você se apoiou na cerca e...

- Eu lembro muito bem. - responde ela.

- O que você acha de repetirmos agora, em louvor aos velhos tempos?

- Oh, você é um sátiro, mas parece uma boa idéia!

Um policial sentado ao lado ouve a conversa e pensa: Essa eu não posso perder: Tenho que ver os coroas fazendo sexo, lá na cerca.

Eles saem e caminham até lá, se apoiando um ao outro, ajudados por bengalas.

Chegam à cerca, a velha senhora ergue a saia, tira a calcinha, o coroa baixa as calças. Ela se agarra na cerca e começam a fazer sexo. De repente, explodem no sexo mais furioso que o policial já tinha visto na vida. Repetem dezenas de vezes.

Ela grita, ele agarra os quadris dela, furiosamente. O sexo mais atlético possível e imaginável.Finalmente caem exaustos no chão e depois de mais de meia hora deitados se recuperando, os dois se levantam, apanham as roupas espalhadas e se vestem.

O policial, ainda perplexo, toma coragem, se aproxima do casal e pergunta:
- Vocês devem ter tido uma vida fantástica! Como vocês conseguem? Qual é o segredo dessa performance ideal?

- O velhinho com os cabelos assanhados e cara de estar em outro mundo responde :

Sei lá...... Sessenta anos atrás essa cerca não era elétrica...

Hoje me bateu uma saudade de meus velhos brinquedos de criança. Abri o armário e trouxe para os meus anos o meu inseparável sonho de piloto. Sai pela casa, fazendo as curvas do tempo com o meu Mach 5

Maquiagem na educação

Confesso: sou contra as cotas na universidade para alunos da rede pública. Sempre estudei gratuitamente. Quando criança, morava no interior de São Paulo. Minha escola era considerada a melhor da cidade. Todas as famílias, de mais ou menos recursos, faziam o máximo para inscrever seus filhos. As professoras eram respeitadas. Viviam com conforto. Nunca me esquecerei de um comentário de mamãe:

– Seu primo casou bem! Ela é professora!

No antigo ginásio, tive um ano de francês e dois de inglês. Aulas de música, trabalhos manuais e desenho artístico, além das disciplinas usuais. Aprendi a fazer xilogravuras e redes de tênis, por exemplo. Tudo isso em uma escola pública do interior! Adolescente, mudei para São Paulo. Fui para um colégio experimental, igualmente gratuito. Superconcorrido. Na minha classe, havia até filhos de milionários. Meu pai era ferroviário, e outros colegas também vinham de famílias humildes.

Ao terminar o secundário, prestei vestibular. Entrei em três faculdades sem jamais ter feito cursinho. Estudei na Universidade de São Paulo. Meu irmão mais velho, Aírton, freqüentou colégios públicos e fez um curso técnico, particular, antes do superior. Hoje é diretor de uma grande empresa na área de tecnologia. Ney, o caçula, cursou os primeiros anos em uma escola do bairro da Lapa. Continuou em uma particular, pois a decadência já começava. É professor na Unicamp. Sua lista de prêmios em composição tem mais de metro.

Ah, podem dizer que minha família é privilegiada. Não creio. Meus primos também estiveram em escolas públicas. Armando é um médico respeitável. Zoraide, professora universitária, com tese a caminho. Colegas da minha cidade do interior tiveram carreiras brilhantes em engenharia, jornalismo... Um deles, Cláudio, é escritor. Muita gente ficou no caminho. Não devido à má qualidade do ensino. E sim a questões sociais. Como a pobreza, a necessidade de trabalhar cedo e a falta de vagas em cursos noturnos.

Nada tenho contra escolas particulares. Pelo contrário. Graças a elas, o naufrágio na educação não foi total. Existem esforçadíssimos mestres de escolas públicas que lutam bravamente por seus alunos. Tive o prazer de conhecer alguns, a quem admiro profundamente.

Mas é fato: no passado, quem conseguia completar o ensino básico saía com uma sólida educação. Possibilidade de entrar na universidade gratuita. Isso não ocorre hoje em dia. O currículo foi comprimido. A mesma coisa aconteceu com o salário dos professores. Das condições de aprendizado, nem se fala. O aluno sai em desvantagem. De repente, um séquito de burocratas decide resolver o problema na base da caneta. Instalando um sistema de cotas. Ainda mais, em ano eleitoral. Em vez de ir fundo no problema. Começando por restituir a dignidade salarial ao professor. Se o futuro do país está na educação, os responsáveis não devem ganhar bem, ter tempo para pesquisar, ler, preparar aulas? É preciso melhorar os currículos. Aumentar o número de aulas e matérias.

Tenta-se uma saída artificial. Uma maquiagem. Já me contaram de alunos do secundário que sabem ler, mas não entendem o significado do texto. Que farão na universidade? Sou testemunha de quanto vale uma boa escola pública. Tive uma excelente formação. Eu me orgulho disso. Vejo agora mais uma tentativa de tapar o sol com a peneira. Muita gente vai aplaudir. Nem por isso é uma solução.


Walcyr Carrasco


sábado, 21 de maio de 2011

Os Sombra (The Shadows)

Pra descontrair

Teste difícil

Um sujeito está em um teste para emprego. O empregador dirige-se ao candidato e diz:

- Vou aplicar o teste final para sua admissão.
- Perfeito - diz o candidato.
- Você está em uma estrada escura e vê ao longe dois faróis emparelhados vindo em sua direção. O que você acha que é?
- Um carro, diz o candidato.
- Um carro é muito vago. Que tipo de carro? Um Audi, um Volkswagen?
- Não dá pra saber, né?
- Ihh, assim você vai mal, muito mal - diz o empregador, que continua - Vou fazer outra pergunta. Você está na mesma estrada escura e vê só um farol vindo em sua direção. O que é?
- Uma moto - diz o candidato.
- Sim, mas que tipo de moto? Uma Yamaha, uma Honda, uma Suzuki?
- Sei lá, numa estrada escura, não dá pra saber – diz o candidato, já meio nervoso.
- Assim você não vai passar - diz o empregador - Aqui vai a última pergunta: na mesma estrada escura, você vê de novo só um farol, mas menor, e você percebe que vem bem mais lento. O que é?
- Uma bicicleta.
- Sim, mas que tipo de bicicleta? Uma Caloi, uma Monark?
- Não sei.
- Você está reprovado, diz o empregador.

Aí o candidato dirige-se ao empregador e diz:

- Interessante esse teste. Posso fazer uma pergunta também?
- Claro que pode. Pergunte.
- O senhor está numa rua iluminada. Vê uma moça com maquiagem carregada, vestidinho vermelho bem curto, girando uma bolsinha. O que é?
- Ah! - diz o empregador - é uma "mulher da vida".
- Sim, mas que tipo de mulher da vida? Sua irmã, sua mulher, sua mãe?

Senso de certeza

Às vezes o nosso brilho de sucesso deixa algumas pessoas nervosas, mas mesmo assim o nosso brilho tende a ser um guia para outras pessoas. Graças ao talento e brilho de Emerson Fittipaldi que hoje existem tantos pilotos na Formula 1, graça ao brilho de Guga que existe hoje tantas pessoas praticando o Tênis.

Por isso não tenha medo de brilhar. "Nosso maior medo não é sermos inadequados. Nosso maior medo é sermos poderosos além da medida. É nossa luz, e não nossa sombra, que nos amedronta.

Perguntamos a nós mesmos: quem sou eu para ser brilhante, magnífico, talentoso e fabuloso?

Na verdade, quem é você para não o ser?

Se nos anularmos, isso não vai adiantar nada para o mundo. Não é nada esclarecido encolher para que as pessoas ao seu redor se sintam seguras.

Nascemos para manifestar a glória que está dentro de nós. Ela não está apenas em alguns de nós, está em todos - e, quando deixamos brilhar nossa própria luz, conscientemente damos permissão às outras pessoas para fazerem o mesmo.

Quando nos libertamos de nossos temores, nossa presença automaticamente  liberta os outros."

Mude suas convicções limitadoras. É preciso de fé que ira conseguir antes de possuir, desenvolva o senso de certeza.


Autor Anônimo

Renúncia

Chora de manso e no íntimo... procura
Tentar curtir sem queixa o mal que te crucia:
O mundo é sem piedade e até riria
Da tua inconsolável amargura.


Só a dor enobrece e é grande e é pura.
Aprende a amá-la que a amarás um dia.
Então ela será tua alegria,
E será ela só tua ventura...


A vida é vã como a sombra que passa
Sofre sereno e de alma sombranceira
Sem um grito sequer tua desgraça.


Encerra em ti tua tristeza inteira
E pede humildemente a Deus que a faça
Tua doce e constante companheira...


Manuel Bandeira

Enfim, a Próstata

Maluf colocou a boca no mundo. Ou melhor, colocou a próstata no mundo. De repente, virou moda, jornais abriram espaço e foram surgindo famosos prostáticos (existe essa palavra?). Quércia voltou ao mundo político através da sua. Mas diz que é simples. Não vai operar nem nada. Na África do Sul, um Nobel, o bispo Desmond Tutu abriu o jogo: também está com câncer lá.

Os médicos avisam: todo homem, depois dos 50 anos, deve fazer o exame. A probabilidade do tumor é muito grande depois desta idade.

Mas os homens de mais de 50 anos (minha geração) são machistas demais. Não adianta dar um toque para eles. Pode-se fazer um exame de sangue e aquele exame que grávida faz. Como chama? Ficam passando um negocinho na barriga da gente. Esqueci. Mas os dois exames juntos dão garantia apenas de 80 por cento. Tem que se fazer o toque, sim.

Eu sugiro uma solução para o assunto deste começo de ano: médicas urologistas. Todos os homens iriam fazer o toque. Com mulher, tudo bem. Tem gente que iria fazer semanalmente. Gente que ia entrar duas vezes na fila, etc.

Há uns 15 anos, tive que fazer (um toque, lá). Estava com uma pequena inflamação e o médico (meu amigo de infância, Plínio) disse que teria que fazer a massagem na minha próstata para recolher um tal pus.

Estou lá eu, nu, de quatro, em cima da mesa e ele, com a maior naturalidade, colocando uma luva num grosso dedo (ele sempre foi meio gordinho). Eu ali aflito e ele contando (juro) a lua-de-mel (dele) na Bahia, meses atrás. Achei que não era um tema muito adequado para aquela hora, mas próstata é próstata e vamos lá. Passou uma vaselina e se aproximou.

Mas, antes, colocou uma folha de papel debaixo do meu corpo.

— O que é isso?

— Caso você ejacule...

Me sentei. Preocupado.

— Plínio, se você enfiar o dedo aí e eu gozar, como é que eu fico? Qual é a porcentagem dos que gozam?

— Meio a meio. Vamos, de quatro.

— Pega leve, hein?

Se eu tivesse gozado, não estaria agora contando esse caso.

Tive um segundo caso com a minha próstata. Já disse aqui que passei uns dias no Spa Médico São Pedro, em Sorocaba.

Assim que você chega, eles fazem todos os exames possíveis em você.

No ultra-som (lembrei !!!) deu uma pequena inchação na mencionada área.

O diretor do Spa achou melhor eu fazer um exame de toque com um urologista para ficarmos todos tranqüilos.

— O urologista é gordo?

— Magro.

— Menos mal. Preciso ir ao hospital?

— Não. Amanhã ele passa aqui. A gente te acha.

Na manhã seguinte, estou lá eu com as minhas queridas gordinhas a fazer um cooper, quando a enfermeira vem me chamar.

— O senhor tem médico daqui a meia hora.

Foi o tempo suficiente para um bom banho, lavar bem as partes, colocar uma cueca novinha. Fui para o sacrifício.

O médico me recebeu, nos apresentamos e ele me levou para o fundo do corredor e abriu uma porta. A primeira coisa que eu vi foi aquela cama de examinar mulheres, com lugares para colocar as pernas. Sabe qual?

"Vai ser de frente. Mais constrangedor ainda".

Pediu para eu sentar. Ele era sério. Para desanuviar um pouco o ambiente, brinquei:

— Você é que vai me dedurar?

— Depende.

— (olhando para a cama) Depende do quê?

— A não ser que você tenha algum problema mais grave, fica tudo entre a gente.

Aquele "tudo entre a gente" eu já não gostei.

— Você está com algum problema?

— Bem... é que é estranho assim logo de manhã..

— Você prefere de tarde?

— Não, já que eu estou aqui, vamos fundo. Vamos fundo?

— Pois então, algum problema de ordem psicológica?

— Bem, fora aquelas brincadeiras que a gente fazia quando era garoto, né, eu nunca...

— Como assim?

— Doutor, vamos deixar de conversa e vamos logo ao que interessa?

— Não estou te entendendo.

— O senhor não é o urologista?

— Urologista? Eu sou o psiquiatra.

Mário Prata

Texto extraído do livro "100 Crônicas", Cartaz Editorial - São Paulo, 1997, pág. 160.

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Sintomas Provocados por Carência de Alimentos

Veja que interessante.... a partir de uma certa idade, temos quase todos esses sintomas, provocados pela deficiências aqui mencionadas.

1. DIFICULDADE DE PERDER PESO
O QUE ESTÁ FALTANDO: Ácidos graxos essenciais e vitamina
AONDE OBTER: semente de linhaça, cenoura e salmão - além de suplementos específicos.

2. RETENÇÃO DE LÍQUIDOS
O QUE ESTÁ FALTANDO: na verdade um desequilíbrio entre o potássio, fósforo e sódio.
ONDE OBTER: água de coco, azeitona, pêssego, ameixa, figo, amêndoa, nozes, acelga, coentro e os suplementos.

3. COMPULSÃO A DOCES
O QUE ESTÁ FALTANDO: cromo
ONDE OBTER: cereais integrais, nozes, centeio, banana, espinafre,cenoura + suplementos..

4. CÂIMBRA, DOR DE CABEÇA
O QUE ESTÁ FALTANDO: potássio e magnésio
ONDE OBTER: banana, cevada, milho, manga, pêssego, acerola, laranja e água.

5. DESCONFORTO INTESTINAL, GASES, INCHAÇO ABDOMINAL
O QUE ESTÁ FALTANDO: lactobacilos vivos
ONDE OBTER : coalhada, iogurte, missô, yakult e similares

6. MEMÓRIA RUIM
O QUE ESTÁ FALTANDO: acetil colina, inositol
ONDE OBTER: lecitina de soja, gema de ovo + suplementos.

7. HIPOTIREOIDISMO (PROVOCA GANHO DE PESO SEM CAUSA APARENTE)
O QUE ESTÁ FALTANDO: iodo
ONDE OBTER: algas marinhas, cenoura, óleo, pera, abacaxi, peixes de água salgada e sal marinho.

8.. CABELOS QUEBRADIÇOS E UNHAS FRACAS
O QUE ESTÁ FALTANDO: colágeno
ONDE OBTER: peixes, ovos, carnes magras, gelatina + suplementos

9. FRAQUEZA, INDISPOSIÇÃO, MAL ESTAR
O QUE ESTÁ FALTANDO: vitaminas A, C, e E e ferro
ONDE OBTER: verduras, frutas, carnes magras e suplementos.

10. COLESTEROL E TRIGLICERÍDEOS ALTOS
O QUE ESTÁ FALTANDO: Omega 3 e 6
ONDE OBTER: sardinha, salmão, abacate, azeite

11. DESÂNIMO, APATIA, TRISTEZA, RAIVA, FALTA DE DESEJO SEXUAL, INSATISFAÇÃO
O QUE ESTÁ FALTANDO: Dinheiro, meu filho, dinheiro.
ONDE OBTER: Quando eu descobrir, informarei.

* E-mail repassado pela amiga Josélia
Foto Dockera
Quando eu morrer e no frescor de lua
Da casa nova me quedar a sós,
Deixa-me em paz na minha quieta rua...
Nada mais quero com nenhum de vós!

Quero é ficar com algumas poemas tortos
Que andei tentando endireitar em vão...
Que lindo a Eternidade, amigos mortos,
Para as torturas lentas da Expressão!...

Eu levarei comigo as madrugadas,
Pôr de sóis, algum luar, asas em bando,
Mais o rir das primeiras namoradas...

E um dia a morte há de fitar com espanto
Os fios de vida que eu urdi, cantando,
Na orla negra do seu negro manto...


Mário Quintana

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Hoje eu também vou reclamar!!!

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Foto Kostas Angelopoulos

“Primeiro vieram buscar os judeus e eu não me incomodei, porque não era judeu. Depois levaram os comunistas e eu também não me importei, pois não era comunista. Levaram os liberais e também encolhi os ombros. Nunca fui liberal. Em seguida os católicos, mas eu era protestante. Quando me vieram buscar, já não havia ninguém para me defender.”
O tempo não para...

O fim do mundo é no próximo sábado 21 de maio

Grupo religioso acredita que o fim do mundo irá acontecer no dia 21 de maio

Um grupo religioso americano com ramificações no Brasil está propagando que o fim do mundo acontece próximo dia 21. De acordo com eles, a previsão seria baseada em dados bíblicos.

Veja matéria publicada no site Iguatu.net, da cidade de Iguatu, no Ceará, em que dois adeptos estão propagando e defendendo a idéia.

Um novo alerta apocalíptico chegou ao Brasil com um aviso: o fim pode estar mais próximo do que se imagina. Um grupo cristão dos Estados Unidos, com representantes em Belo Horizonte, está rodando o Brasil para divulgar a tese de que o juízo final está marcado para 21 de maio – e não para 2012, segundo a popular profecia feita pelos maias.

Com propagandas os evangélicos da Family Radio fazem malabarismo com números e datas da Bíblia para garantir que há provas de que o mundo vai acabar nos próximos meses. E em Iguatu, o grupo americano conquistou dois simpatizantes que moram nas Barreiras dos Pinheiros e estão propagando a idéia na cidade, “ eu acredito na bíblia e eles estão certos, acontecerá neste dia o arrebatamento e o início do fim do mundo “ disse o senhor Neto.

O radialista Pinheirinho da Rádio Liberdade AM acompanhou o lado da reportagem do site Iguatu.net as declarações dos irmãos, ” é algo que eles acreditam, mas formos procurados por populares em nosso programa da Liberdade AM e demonstravam preocupação cm a atitude deles” enfatizou.

O mesmo ao lado do seu irmão estão acompanhando a mais de um ano pelo rádio os programas da emissora Family Radio as mensagens apocalípticas, “ sempre que podemos acompanhamos pelo rádio as mensagens que são do rádio e elas afirmam que o fim do mundo acontecerá no dia 21 de maio, a bíblia diz isso” enfatiza o senhor Valdey Pereira.

Entenda
No site do Estadão de São Paulo, o presidente da Family Radio, Harold Camping, falou sobre o assunto, o mesmo chegou à conclusão que o fim do mundo será em 21 de maio de 2011 após estudar a Bíblia e porque é exatamente sete mil anos depois do episódio que Noé se salva do Dilúvio Universal segundo, o texto religioso.

“A Sagrada Bíblia dá mais provas incríveis que no dia 21 de maio de 2011 é exatamente o momento do Juízo Final” acrescenta no site do grupo.

Family Radio considera que os não crentes sofrerão um poderoso terremoto que provocará vários meses de caos na Terra.

Acesse o site do grupo cristão: http://worldwide.familyradio.org/pt/



Fontes:
Portal correio com Portal Iguatu.net
 
P.S. Na dúvida é bom deixar a correspondência em dia!

segunda-feira, 16 de maio de 2011

domingo, 15 de maio de 2011

Baú de saudades

Trato é trato

Depois de exaustivas brigas, o marido grita:
- Eu não agüento mais!!! Vamos fazer o seguinte: eu fico com um lado da casa e você com o outro!
- Tudo bem! - concorda a esposa - Eu fico com o lado de dentro!

As ilhas altas

Colombo descobriu a América; eu descobri as Ilhas Altas, ao largo de Copacabana e Ipanema. Pode ser que muita gente antes de mim as tenha visto; mas, que eu saiba, nunca ninguém disse nem escreveu nada a respeito. Descobri-as, portanto, por minha conta, pelo meu costume de estar sempre olhando o mar. Tenho várias testemunhas, e citarei Paulo Mendes Campos, que já as enxergou e as mostrou a outras pessoas.

Para falar verdade, tenho descoberto muita coisa no mar - eu, que sou apenas um homem de praia. Em Ipanema descubro jamantas imensas, e já enxerguei, próximo à arrebentação, por duas vezes, indiscutíveis tubarões - estou falando de tubarões, e não de botos traquinas. Mas as Ilhas Altas são minha melhor descoberta. Assim, pois, concito os povos de Copacabana e Ipanema a olharem com assiduidade o mar, com os olhos de quem procura disco voador voando baixinho. Mas antes de encontrar as Ilhas Altas é preciso cada um se familiarizar com a visão das outras, as comuns - as Tijucas, as Cagarras, a Redonda, a Rasa, a Contunduba e as elevações do outro lado da entrada da barra. Porque acontece que quem não está acostumado a ver, a ver reparando no que vê, não verá as minhas Ilhas Altas. Ou verá mas não achará nada de estranho - pois não saberá que está vendo ilhas que não existem, ou melhor, que não existem assim como aparecem.

E apenas nos dias de muito sol e mar manso que as tenho visto - quando no horizonte marinho há uma faixa de ar trêmulo. Então ali se projetam ilhas com penhascos soberbos, altas, nítidas, fabulosas. Têm, como as outras, o violeta sujo das penedias, o verde-escuro das árvores, tudo azulado pela distância; mas seus costões são verticais ou reentrantes, convexos, roídos pelas espumas, e se aprumam com uma fidalguia soberba no horizonte - penhascos de lenda, majestosos, fascinantes. Duram minutos, talvez uma hora, e depois se perdem numa bruma seca, vagamente.

Olhem, pois, meus irmãos, o horizonte marinho. Não perderão nada - o mar é sempre belo quando brilha ao sol, às vezes pula um peixe de prata, num salto sensacional; e todos os navios são bons de ver, até a traineira humilde que reboca um barquinho e vai para o Sul, o madeireiro chato e lento que vem carregado de pinho. Olhem o mar - um dia verão minhas Ilhas Altas, e verão que são belas. Se não as virem, ainda assim olhem o mar - porque ele ensina apenas força e liberdade.


Rubem Braga

(“Os Cem Melhores Contos Brasileiros do Século”)



Paraíba e Pernambuco sediarão encontros de blogueiros e redes sociais

A ANID (Associação Nacional pela Inclusão Digital) está apoiando, junto com outras entidades, a realização de dois eventos no Nordeste. Trata-se dos Encontros de Blogueiros e Redes Sociais nos estados de Pernambuco e Paraíba, que serão realizados na próxima semana. Em João Pessoa, o encontro acontece no dia 20 de maio, no auditório da PBTUR, localizado no bairro de Tambaú. Em Olinda, o encontro ocorre no dia 21, no auditório Ribeira do Centro de Convenções. As inscrições são gratuitas e mais informações podem ser obtidas através do hotsite http://www.blogueiros.net.br.

Os encontros estão sendo promovidos pelo Centro de Estudos Barão de Itararé. A programação inclui debates, oficinas de blogs e de redes sociais, além de apresentação sobre assessoria jurídica para blogueiros.

O jornalista Altamiro Borges participará do debate inicial nos dois estados que, em João Pessoa, será realizado juntamente com o presidente da ANID, Percival Henriques e, em Olinda, com o jornalista Paulo Henrique Amorim. Na Paraíba, alguns convidados especiais já confirmaram presença, como os advogados Alexandre Guedes e Harrison Targino.


Deu no www.pbagora.com.br
Arrumação: Bart Bartchelor

Escultura: Ivan Puig



Escultura: Eva Holloway

Escultura: Fiona Banner