domingo, 29 de março de 2020

Existem dois objetivos na vida: o primeiro, o de obter o que desejamos; o segundo, o de desfrutá-lo. Apenas os homens mais sábios realizam o segundo.


Dois amigos e um chato

Os dois estavam tomando um cafezinho no boteco da esquina, antes de partirem para as suas respectivas repartições. Um tinha um nome fácil: era o Zé. O outro tinha um nome desses de dar cãibra em língua de crioulo: era o Flaudemíglio. 

Acabado o café o Zé perguntou: — Vais pra cidade? 

— Vou — respondeu Flaudemíglio, acrescentando: — Mas vou pegar o 434, que vai pela Lapa. Eu tenho que entregar uma urinazinha de minha mulher no laboratório da Associação, que é ali na Mem de Sá. 

Zé acendeu um cigarro e olhou para a fila do 474, que ia direto pro centro e, por isso, era a fila mais piruada. Tinha gente às pampas. 

— Vens comigo? — quis saber Flaudemíglio. 

— Não — disse o Zé: — Eu estou atrasado e vou pegar um direto ao centro. 

— Então tá — concordou Flaudemíglio, olhando para a outra esquina e, vendo que já vinha o que passava pela Lapa: —Chi! Lá vem o meu… — e correu para o ponto de parada, fazendo sinal para o ônibus parar. 

Foi aí que, segurando o guarda-chuva, um embrulho e mais o vidrinho da urinazinha (como ele carinhosamente chamava o material recolhido pela mulher na véspera para o exame de laboratório…), foi aí que o Flaudemíglio se atrapalhou e deixou cair algo no chão. 

O motorista, com aquela delicadeza peculiar à classe, já ia botando o carro em movimento, não dando tempo ao passageiro para apanhar o que caíra. Flaudemíglio só teve tempo de berrar para o amigo: — Zé, caiu minha carteira de identidade. Apanha e me entrega logo mais. 

O 434 seguiu e Zé atravessou a rua, para apanhar a carteira do outro. Já estava chegando perto quando um cidadão magrela e antipático e, ainda por cima, com sorriso de Juraci Magalhães, apanhou a carteira de Flaudemíglio. 

— Por favor, cavalheiro, esta carteira é de um amigo meu —disse o Zé estendendo a mão.
Mas o que tinha sorriso de Juraci não entregou. Examinou a carteira e depois perguntou: — Como é o nome do seu amigo? 

— Flaudemíglio — respondeu o Zé. 

— Flaudemíglio de quê? — insistiu o chato. 

Mas o Zé deu-lhe um safanão e tomou-lhe a carteira, dizendo: — Ora, seu cretino, quem acerta Flaudemíglio não precisa acertar mais nada!

Stanislaw Ponte Preta


Crônica Engraçada

Minha mulher e eu temos o segredo para fazer um casamento durar: Duas vezes por semana, vamos a um ótimo restaurante, com uma comida gostosa, uma boa bebida e um bom companheirismo.

Ela vai às terças-feiras e eu, às quintas.

Nós também dormimos em camas separadas: a dela é em Fortaleza e a minha, em SP.

Eu levo minha mulher a todos os lugares, mas ela sempre acha o caminho de volta.

Perguntei a ela onde ela gostaria de ir no nosso aniversário de casamento, “em algum lugar que eu não tenha ido há muito tempo!” ela disse. Então, sugeri a cozinha.

Nós sempre andamos de mãos dadas…Se eu soltar, ela vai às compras!

Ela tem um liquidificador, uma torradeira e uma máquina de fazer pão, tudo elétrico. Então, ela disse: “nós temos muitos aparelhos, mas não temos lugar pra sentar”. Daí, comprei pra ela uma cadeira elétrica.

Lembrem-se: o casamento é a causa número 1 para o divórcio. Estatisticamente, 100 % dos divórcios começam com o casamento.

Eu me casei com a “senhora certa”. Só não sabia que o primeiro nome dela era “sempre”.

Já faz 18 meses que não falo com minha esposa. É que não gosto de interrompê-la.

Mas, tenho que admitir: a nossa última briga foi culpa minha.

Ela perguntou: “O que tem na TV?”

E eu disse: “Poeira”.


Luis Fernando Veríssimo 
- Você está nervoso, cansado, é isso.
- Cansado desta vida. Vontade de me mudar para do Rio, ir para um lugar sossegado, ter um filho, criá-lo longe daqui, constituir uma família, compreende? Levar uma vida decente. Não nasci para isso. Só você, que me conhece melhor, pode me compreender. Nós somos diferentes um do outro, eu sei; mas você sabe que eu não nasci pra isso. Eu queria ser um homem simples, direito... Um homem como meu pai.

Destruição

Os amantes se amam cruelmente
e com se amarem tanto não se veem.
Um se beija no outro, refletido.
Dois amantes que são? Dois inimigos.
Amantes são meninos estragados
pelo mimo de amar: e não percebem
quanto se pulverizam no enlaçar-se,
e como o que era mundo volve a nada.
Nada, ninguém. Amor, puro fantasma
que os passeia de leve, assim a cobra
se imprime na lembrança de seu trilho.
E eles quedam mordidos para sempre.
Deixaram de existir, mas o existido
continua a doer eternamente.
          Carlos Drummond de Andrade 

Versículos do dia

Mas em todas estas coisas somos mais que vencedores, por meio daquele que nos amou. Pois estou convencido de que nem morte nem vida, nem anjos nem demônios, nem o presente nem o futuro, nem quaisquer poderes, nem altura nem profundidade, nem qualquer outra coisa na criação será capaz de nos separar do amor de Deus que está em Cristo Jesus, nosso Senhor. 

sábado, 28 de março de 2020


Versículo do dia

E servireis ao Senhor, vosso Deus, e ele abençoará o vosso pão e a vossa água; e eu tirarei do meio de ti as enfermidades. 




Frase

“Tenho medo. À minha frente está o vírus. E às minhas costas está o poderio legal e administrativo da China.” 
 
(Chen Qiushi, blogueiro chinês que desapareceu depois de postar vídeos documentando o começo da epidemia da Covid-19 em Wuhan)

As palavras proferidas pelo coração não têm língua que as articule, retém-nas um nó na garganta e só nos olhos é que se podem ler.

José Saramago

Com vocês, o pintor Vincent Van Gogh de quarentena!
"Odeio as vítimas que respeitam seus carrascos."


(JEAN-PAUL SARTRE - In: "Os Sequestrados de Altona".)
("The Kiss of Death", 1930 - Jaume Barba/Joan Fontbernat)
- A guerra já chegou outra vez, mãe?
- A guerra nunca partiu, filho. As guerras
são como as estações do ano: ficam suspensas, a amadurecer no ódio de gente miúda. 


- Mia Couto | O último voo do flamingo.

Nota de Pesar

O Pombal Esporte Clube, nesse momento difícil para todos nós, vem se solidarizar com a família e toda a torcida do São Cristóvão pelo falecimento do seu ex-atleta Ridinei Formiga, ocorrido na cidade de Sobral-CE. Ridinei defendeu o São Cristóvão por um longo período e se notabilizou pela seu talento e habilidade dentro de campo, o que o tornou um jogador diferenciado e admirado. Ridinei era diabético e vinha enfrentando problemas de Saúde. 

Igualmente, o Pombal Esporte Clube se irmana na solidariedade a toda a família Benigno pelo falecimento de José Queiroz de Souza, Nenzinho, também outro jogador de futebol que defendeu as cores do nosso São Cristóvão Futebol Clube em época pretérita. Nenzinho faleceu ontem em Pombal, aos 76 anos, era casado com a ex-professora Maria Eci, também falecida recentemente.

O futebol pombalense encontra-se de luto pelo passamento desses dois ex-atletas que tão bem dignificaram o nosso futebol em épocas diferentes, cujos desígnios de Deus os impuseram partirem juntos para jogar no céu. 

O Pombal Esporte Clube reitera o nosso respeito, nossa solidariedade às famílias e ao mundo do futebol pombalense.


Teófilo Félix de França Júnior
Presidente do Pombal Esporte Clube

sexta-feira, 27 de março de 2020


O maior erro que você pode cometer é o de ficar o tempo todo com medo de cometer algum.


Fanatismo

Minh'alma, de sonhar-te, anda perdida...
(...)

Florbela Espanca