segunda-feira, 31 de março de 2014

Chove no sertão da Paraíba

Pombal-PB registrou na noite de ontem mais um volume de 26mm de chuva. Além de Pombal, outros municípios como Patos, Sousa e Cajazeiras registraram chuvas com maior intensidade.

Ainda sobre o Brasil

Você sabe qual é a semelhança entre a ditadura militar e a democracia no Brasil? Em ambos os casos José Genoino e José Dirceu foram presos!
 
 
José Reinaldo de Lacerda
(Técnico Judiciário - Pombal-PB)

Charge

Frase

"Todas as coisas necessárias já foram ditas; mas como ninguém ouve, é preciso sempre recomeçar.
 
André Gide, em O Tratado de Narciso

50 anos do golpe de 64

Amigo do então presidente João Goulart, o senador Pedro Simon (PMDB-RS), 84, acompanhou o golpe militar de 1964 de perto. Simon conta que o golpe "pegou todos de surpresa". "Ninguém pensava que ia estourar a coisa como aconteceu."
 
Apesar de março de 64 ter sido um mês de agitação política, segundo o parlamentar, no dia 31 pouco se acreditava na possibilidade concreta de ocorrer um levante militar que tiraria Jango do poder.
 
Em 1964, Simon era deputado estadual pelo PTB do Rio Grande do Sul e estava em Porto Alegre quando Jango, seu companheiro de partido, deixou o país e partiu para o exílio no Uruguai.
 
"O presidente do Senado simplesmente disse: está vaga a Presidência da República, presidente João Goulart está no exterior em lugar incerto e não sabido e em seu lugar vai tomar posse o presidente da Câmara, o deputado Ranieri Mazzilli."
 
 Segundo Simon, Tancredo Neves, então deputado federal, estava lá e protestou. "Ele gritava: 'canalhas, canalhas'", conta o parlamentar.
 
O antropólogo Darcy Ribeiro, que à época era o chefe da Casa Civil, enviou um ofício ao presidente do Senado, Auro de Moura Andrade, naquele momento informando que Jango estava em Porto Alegre, na casa do comandante do 3º Exército. E que estava à disposição do congressista. O ofício indicava endereço e telefone para localizar o presidente, mas, segundo Simon, a informação foi ignorada.
 
"Eu participei ao vivo do lado do presidente. Deposto de uma maneira estúpida. Um presidente que estava aqui no Brasil e o senador Auro de Moura Andrade, uma figura infeliz da história brasileira, por conta própria deu um golpe extraordinariamente escandaloso", diz.
 
Na opinião de Simon, Jango possuía tropas leais ao seu governo e poderia ter comandado uma resistência aos militares que se rebelaram para tomar o comando da República.
 
 "Naquela noite, o Jango ligou para o comandante do 2º Exército pedindo para ele ir com suas tropas em direção a Juiz de Fora para se contrapor ao general Mourão, que era contrário a ele e tinha um contingente de menor importância de tropas militares", conta Simon.
 
 Amaury Kruel, o comandante do 2º Exército, pediu a Jango que escrevesse uma carta afirmando que era um democrata e que não instalaria o comunismo ao Brasil em hipótese alguma. Cunha alegava que estava sem condições de fazer a resistência porque a notícia do perigo de um golpe comunista havia se espalhado pelo país e existiam muitos focos de rebelião por parte das Forças Armadas, segundo Simon.
 
 Ainda de acordo com o senador, Jango se recusou e afirmou que se sentiria humilhado se escrevesse a carta. "O Jango não quis dar a carta, porque ele achou que dando naquele momento, ficava muito apequenado, ele ficaria amarrado a um determinado grupo."
 
 "Eu tenho convicção que se o Jango tivesse escrito a carta, o Amaury Kruel teria condições de trancar a rebelião e teria condições de tentar uma nova caminhada para o país naquele momento", opina Simon.
 
 
Bruna Borges
Do UOL, em Brasília
A vida é muito curta para ser gasta nutrindo animosidade ou registrando erros.
 
Charlotte Bronte

Versículo do dia

"Mas o fruto do Espírito é: o amor, o gozo, a paz, a longanimidade, a benignidade, a bondade, a fidelidade."  (Gálatas 05:22)

Alegria e tranquilidade

A alegria pode sofrer interrupções no caso de pessoas ainda insuficientemente avançadas, enquanto, no caso do sábio, o bem estar é um tecido contínuo que nenhuma ocorrência, nenhum acidente pode romper; em todo o tempo, em todo o lugar o sábio goza de tranquilidade! Porquê? Porque o sábio não depende de factores externos, não está à espera dos favores da fortuna ou dos outros homens. A sua felicidade está dentro dele; fazê-la vir de fora seria expulsá-la da alma, que é onde, de facto, a felicidade nasce! Pode uma vez por outra surgir qualquer ocorrência que lembre ao sábio a sua condição de mortal, mas ocorrências deste tipo são de somenos importância e não o atingem mais do que à flor da pele. O sábio, insisto, pode ser tocado ao de leve por um ou outro contratempo, mas para ele o sumo bem permanece inalterável. Volto a dizer que lhe podem ocorrer contratempos provindos do exterior, tal como um homem de físico robusto não está livre de um furúnculo ou de uma ferida superficial; em profundidade, porém, não há mal que o atinja.

A diferença existente, insisto ainda outra vez, entre o homem que atingiu a plenitude da sabedoria e aquele que ainda lá não chegou é a mesma que se verifica entre um homem são e um convalescente de doença grave e prolongada. Para este a diminuição da intensidade da doença já quase significa saúde mas, se não se precaver, o mal rapidamente se agrava e volta à primitiva forma; o sábio, em contrapartida, nem pode retroceder, nem sequer avançar mais na via da sapiência. A saúde do corpo está à mercê do tempo e o médico, se a pode restituir, não a pode garantir perpetuamente, e tanto assim é que com frequência o mesmo doente o volta de novo a chamar; a saúde da alma, essa - obtém-se de uma vez por todas - e totalmente! Dir-te-ei agora o que significa uma alma sã: é cada um contentar-se consigo mesmo, ter confiança em si próprio, saber que todos os votos feitos pelos homens, todos os benefícios que trocam entre si não têm a mínima importância para a obtenção da felicidade. Uma coisa passível de acréscimo não é uma coisa perfeita; o homem que quer vir a possuir uma permanente alegria, tem de fruir apenas do que efectivamente lhe pertence. Ora todos os bens a que o comum dos mortais aspira são, de uma forma ou outra, transitórios, pois de coisa alguma a fortuna nos permite a posse para sempre.

Séneca, in 'Cartas a Lucílio'

Acorda, Brasil!

 Foto: Ricardo Noblat

A Serguei Iessiênin

Você partiu,
como se diz,
para o outro mundo.
Vácuo ... Você sobe,
entremeado às estrelas.
Nem álcool, nem dinheiro.
Sóbrio, vôo sem fundo.
Não Iesiênin,
não posso fazer troça,
Na boca uma lasca amarga
- não a mofa.
“É o vinho”, a critica esbraveja,
“se trocasse a bebida pela classe,
ela lhe daria um norte”. E a classe,
por acaso,
mata a sede com xarope?
Melhor morrer de vodka que de tédio.
Talvez,
se houvesse tinta no Inglaterra
você não cortaria os pulsos.
Os plagiários felizes pedem bis!
Já todo um pelotão em auto-execuçaõ!
Para que aumentar
o rol dos suicidas?
Antes aumentar a produção de tinta!
Por enquanto há escória de sobra.
O tempo é escasso
– mãos à obra!
Primeiro é preciso transformar a vida,
para cantá-la em seguida.
Os tempos
estão duros para o artista.
Mas dizei-me, anêmicos e anões,
os grandes,
onde, em que ocasiões,
escolheram uma estrada batida ?
Para o júbilo o planeta está imaturo,
é preciso arrancar alegria ao futuro.
Nesta vida,
morrer não é difícil,
difícil é a vida e seu ofício.



Vladimir Maiakovski

domingo, 30 de março de 2014

Pastor faz sucesso depois de mandar recado para as meninas do “Uapizaps"


O pastor Luiz Lourenço, mais conhecido como pastor Poroca procurou à nossa reportagem nesta segunda-feira (16) para mandar um recado para as jovens que enviam fotos íntimas para os namorados através do WhatsApp. O vídeo virou hit na internet, foi divulgado no Facebook, no próprio aplicativo do celular, e recebeu vários comentários.

Durante a entrevista, o pastor Poroca teve dificuldade em falar a palavra WhatsApp. Ele até tentou várias vezes, mas não conseguiu.

Descontraído, Poroca fez recomendações para as jovens que usam o WhatsApp para publicar fotos nuas.

Depois de muitas risadas, o pastor conseguiu mandar o recado: “Vocês mulheres não publiquem fotos íntimas no WhatsApp, pois isso é abominação aos olhos de Deus, não façam isso jamais”, concluiu Poroca.
 
 
Fonte: Diário do Sertão

Charge



4 dicas da ciência para seu namoro durar mais


Levar um pé na bunda dói. E pode matar. Pra você não correr esse risco (ou pelo menos deixá-lo mais distante), o CIÊNCIA MALUCA separou quatro estudos que ensinam o caminho para fazer seu namoro durar por mais tempo

NÃO EMAGREÇA

Vale lembrar: casais felizes engordam juntos. Pesquisadores americanos entrevistaram 21 casais. E quando só uma parte do casal decidia levar uma vida mais saudável, perder uns quilinhos, o relacionamento desandava. É que aí o parceiro começava a ficar mais inseguro e a qualidade da comunicação entre os dois piorava. Mas quando os dois emagreciam juntos não havia problema algum.

DURMA BEM

É difícil aguentar o mau humor dos insones. Eles ficam mais egoístas, sem paciência. Não agradecem pelos gestos e favores do parceiro. É o que diz uma pesquisa da Universidade da Califórnia feita com 60 casais. Eles tiveram de listar cinco atitudes legais do parceiro durante alguns dias. Os insones tinham mais dificuldades, uma vez que não conseguiam enxergar e valorizar as gentilezas do outro.

IGNORE AS COMÉDIAS ROMÂNTICAS

Mais de 300 pessoas preencheram questionários propostos por cientistas do Albion College sobre relacionamento e quanto acreditavam em casais de filmes, comédias românticas, Friends e novelas. Quem levava esse mundo de ficção muito a sério tendia a se importar menos com o próprio namoro. E pensava com mais frequência em voltar para a vida de solteiro.

DISCUTA

Não finja que está tudo bem só para evitar discussões. Um casal da Nova Zelândia topou o desafio de pesquisadores da Universidade de Auckland. Sem que a mulher soubesse, o marido passou a concordar com absolutamente tudo que ela pedisse, até com as reclamações. Só aguentou por 12 dias. A qualidade de vida dele caiu de 7 para 3. Ao invés de paz, ele encontrou a mulher cada vez mais crítica e chata.


Fonte: Superinteressante


'Quero inventar o meu próprio pecado'

Nos últimos dias, tem-se falado muito dos 50 anos do golpe militar. Dia desses, depois de ouvir no rádio um programa sobre o assunto, mudei a sintonia e dei com o início de uma obra-prima, "Cálice", de Gilberto Gil e Chico Buarque. Lembrei-me do dia em que Chico Buarque e o sempre querido MPB-4 tentaram cantar essa música no Anhembi, em São Paulo, durante a Phono-73.
 
Eu estava lá e presenciei a cena: um a um, os microfones do palco foram levados a Chico pelo MPB-4. Mal Chico entoava o primeiro verso de "Cálice", o microfone era desligado. Um a um, todos foram desligados, e Chico resignou-se: "Vamos ao que pode, vamos ao que pode".
 
"Cálice" não podia. Muita coisa não podia. Quase fui expulso do colégio porque afixei no mural uma matéria do "JT" sobre a poluição em Cubatão. Não se podia falar de problemas. Não havia problemas no país. Nenhum. Quem citasse algum era "subversivo", "comunista", "antipatriota" e outras cretinices.
 
Na pungente "Cálice", há passagens cuja compreensão demanda conhecimento linguístico e, sobretudo, do mundo em que a letra foi gerada, como em "De muito gorda a porca já não anda / De muito usada a faca já não corta". Com a figuração que há nesses versos, com ênfase para o valor causal das expressões "de muito gorda" e "de muito usada" (a porca não anda mais porque está muito gorda; a faca não corta mais porque está muito usada), os autores representam o esgotamento dos procedimentos da ditadura e também da capacidade deles de suportá-los.
 
Há também fortes versos literais, que dispensam explicação ("Tanta mentira, tanta força bruta").
 
Merecem destaque dois versos preciosos, que retratam a fina análise que os autores fazem do tempo em que produziram o texto: "Quero inventar o meu próprio pecado / Quero morrer do meu próprio veneno". Para os que não viveram aquele momento e para os que o viveram e não o entenderam ou fingem que não o entenderam: havia "pecados", alguns deles (quase todos) capitais, definidos como tal pelos "donos da verdade". Quem cometia um desses "pecados" (refiro-me especificamente aos de matiz ideológico) era torturado, condenado ao exílio etc. Mesmo quem não fazia nada de nada pagava pelo "pecado". Bastava uma "autoridade" não "simpatizar" com alguém ou um vizinho pura e simplesmente dizer que Fulano era "comunista" para que...
 
Os versos "Quero inventar o meu próprio pecado" e "Quero morrer do meu próprio veneno" soavam como um retumbante grito contra as "verdades" dos ditadores e traduziam o sentimento de quem não aceitava o estúpido código do pensamento incontestável, imposto pela ditadura. Chico já falara disso nos versos da primorosa "Apesar de Você": "Você que inventou o pecado / Esqueceu-se de inventar / O perdão".
 
A nauseabunda ditadura militar terminou, mas continuamos mergulhados em outra(s) ditadura(s), com a devida complacência e/ou participação do poder público da nossa "democracia". Os versos de Chico e Gil parecem vivos, visto que no Brasil de hoje não me parece possível dizer que temos o direito de inventar os nossos próprios "pecados" ou de morrer do nosso próprio veneno. O código que define o que é "certo" continua sendo o de grupelhos (governantes corruptos, incompetentes, policiais corruptos, violentos, bandidos de todos os tipos, assaltantes, assassinos, traficantes etc., etc., etc.). Os "pecados" que cometemos são os que ferem o "código" deles. O veneno de que morremos também é o deles. É isso.
 
 
Pasquelae Cipro Neto
 
inculta@uol.com.br

sábado, 29 de março de 2014

Vote na nossa nova enquete.

Já temos nova enquete. Vote e de sua opinião no link na barra lateral direita da nossa página.

Almir, ex-Feveres, sofre AVC

 
 

"Não mereço ser estuprada"

Um protesto virtual batizado como “Eu não mereço ser estuprada” movimentou ontem à noite o Facebook. A manifestação aconteceu um dia depois da divulgação do levantamento feito pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) que indicou que 65% dos 3.810 entrevistados concordam, total ou parcialmente, com a ideia de que mulheres que deixam o corpo à mostra merecem ser atacadas. Indignadas com o dado, muitas delas aderiram ao protesto online e postaram fotos seminuas.

Convocada pela manhã, a campanha pedia que mulheres tirassem a roupa, se fotografarem da cintura para cima, com um cartaz que dissesse: “Eu também não mereço ser estuprada”. A princípio, a campanha começaria às 20h, mas, antes do horário, muitas já haviam postado seus registros com o hashtag #EuNãoMereçoSerEstuprada.

Leia mais cliando aqui


Marina Cohen e Juliana Castro, O Globo

Se não fosse a ambulância

Brasil, Brasil, Brasil...mesa de sinuca passa mal, mas é socorrida a tempo. Informações da equipe médica dão conta que ela depois de levar algumas tacadas passa bem e está em repouso.

 
(Maros Maivado Marinho)

Humor

Czardas, executada por artista de rua


Imagem

Em ato contra o racismo, bonecos são espalhados pela Praia de Copacabana, no Rio de Janeiro.Foto: Marcelo Oliveira / Estadão Conteúdo

Soube que vocês nada querem aprender

Soube que vocês nada querem aprender
Então devo concluir que são milionários.
Seu futuro está garantido – á sua frente
Iluminado. Seus pais
Cuidaram para que seus pés
Não topassem com nenhuma pedra. Neste caso
Vocês nada precisam aprender. Assim como estão
Podem ficar.


Havendo dificuldades, pois os tempos
Como ouvi dizer, são incertos
Vocês têm seus líderes, que lhes dizem exatamente
O que têm a fazer para que fiquem bem.
Eles leram aqueles que sabem
As verdades válidas para todos os tempos
E as receitas que sempre funcionam.
Onde há tantos a seu favor
Vocês não precisam levantar um dedo.
Sem dúvida, porém, se fosse diferente
Vocês teriam muito o que aprender.



Eugen Berthold Friedrich Brech, ou Bertolt Brecht

Kim Jong-un obriga universitários norte-coreanos a imitar seu corte de cabelo

Os cortes de cabelo de Kim Jong-Un e de sua mulher Ri Sol-ju seriam os “modelos” permitidos no país. (Foto: AP)

A Radio Free Asia noticiou na terça-feira, 25, que universitários do sexo masculino da Coreia do Norte estão obrigados desde o início do mês a adotar o mesmo corte de cabelo do ditador do país, Kim Jong-un. Alunas teriam que imitar o corte da mulher do líder, Ri Sol-ju.

A medida, que começou a ser aplicada em Pyongyang, agora já estaria em vigor em todo o país. “O corte de cabelo do nosso líder é muito especial. Mas ele não fica bem em todas as pessoas, já que as pessoas tem rostos e cabeças de formatos diferentes”, teria dito uma fonte da Radio Free Ásia.

Os cortes de cabelos seriam controlados na Coreia de Norte há algum tempo – existiriam 10 cortes disponíveis para os homens e 18 para as mulheres.


O Estadão

quinta-feira, 27 de março de 2014

Pombal/PB: TAC garantirá repouso semanal dos vigilantes da Prefeitura de Pombal – PB

O Ministério Público do Estado da Paraíba, o Sindicato dos Servidores Públicos do Município de Pombal – PB (SINSEMP) e o Município de Pombal – PB, no dia 20 de março de 2014, formalizaram, na 3ª Promotoria de Justiça de Pombal – PB (com atribuição no patrimônio público), um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) para regularizar o gozo do direito ao repouso semanal remunerado por parte dos vigilantes (servidores públicos/contratados) do Município de Pombal – PB.

Conforme restou apurado no Inquérito Civil nº 005.2012.000312/MPVIRTUAL02/Promotoria de Justiça/Pombal/PB, havia vigilantes do Município de Pombal – PB (Prefeitura) exercendo suas atividades profissionais sem a fruição do repouso semanal, que constitui direito garantido pela Constituição da República (art. 7º, XV, c/c art. 39, §3º, CRFB).

No TAC, o Município de Pombal se comprometeu, a partir do dia 20.06.2014, garantir a todo o corpo de vigilantes municipais o direito ao repouso semanal remunerado, preferencialmente aos domingos, divulgando mensalmente, em mural afixado na sede da Prefeitura Municipal, a escala mensal dos vigilantes municipais e os locais de trabalho, bem como enviando ao Sindicato dos Servidores Públicos do Município de Pombal – PB (SINSEMP) a escala mensal dos vigilantes municipais e os locais de trabalho.

Em caso de descumprimento, incidirá multa diária de R$ 1.000,00 (mil reais), por cada infração constatada, sem prejuízo da adoção de outras medidas adequadas ao cumprimento do TAC, sendo o valor destinado ao Fundo Especial de Proteção aos Interesses Difusos da Paraíba (FDD-PB), criado pela Lei Estadual nº 8.102/2006.

Tudo começou no ano de 1953, quando o construtor Chiquinho Formiga iniciou a construção do Cine Lux, sendo inaugurado no ano seguinte com a presença do cantor Luiz Gonzaga. Localizado na Rua Jerônimo Rosado, o grande prédio tinha excelentes condições para projeções cinematográficas, sendo o local também aproveitado para show, peças de teatro, conferências, debates políticos etc. Em 1956, o cinema foi vendido para Afonso Mouta, que exibiu seu primeiro filme, denominado: "A Mulher que Perdi", uma película mexicana, e,logo em seguida, o novo proprietário fez uma reforma no prédio e inaugurou as projeções em cinemascope com o filme: "Os Cavaleiros da Távora Redonda". Agora, a tela grande era o orgulho e o comentário da população pombalense, que tinha no cinema uma nova abertura para o conhecimento visual dos costumes, da vida social e comportamento de muitos países nunca antes vistos. O cinema usava sua própria energia, a motor diesel, instalado no próprio prédio, e o barulho do mesmo sempre denunciava para toda a vizinhança o início e o término de cada projeção. Inicialmente, as projeções estavam mais direcionadas para as películas americanas, faladas em inglês e legendadas em português. Os filmes de rei, amor, guerra, humor, as matinês com os gritos de Tarzan, western com índios e as grandes películas mexicanas, influenciavam claramente os frequentadores. Porém, o grande sucesso, devido à compreensão do público em geral, foi na exibição do primeiro filme brasileiro: "Metido a Bacana", com Ankito e Grande Otelo. Depois, vieram às conhecidas chanchadas, produzidas pela produtora Atlântida, com Oscarito, Cyll Farney e Eliana, Anselmo Duarte, José Lewgoy, Zezé Macedo, Mazzarope, Zé Trindade, entre outros. O Cine Lux estabeleceu um mundo mágico em Pombal. Como único divertimento local, o bom gosto para exibições de clássicos cinematográficos, motivação sócio cultural, fez do prédio de cinema um ponto de encontro dos pombalenses. Tocando as novidades dos últimos sucessos da discografia brasileira, os bons filmes deram abertura para as sessões matinais, vesperal, matinês e, naturalmente, com as sessões noturnas, que era o horário nobre das exibições, marcado pela suavidade da música ambiente e o silêncio da plateia, tudo isso dava a certeza da casa cheia. Na direção de Seu Afonso, José Cleôncio e Galdino, foram exibidos os melhores filmes do cinema da cinematografia mundial, lembrando que durante as projeções, eles estavam sempre a caminhar, entre a plateia, com uma lanterna na mão, mantendo a ordem e disciplina, que, apesar de tudo,

Não deixou que muitos filhos de Pombal, hoje, sejam resultados dos flertes, namoros e casamentos iniciados no "escurinho" do Cine Lux. Mas, finalmente, em 1983, o Cine Lux começou a sucumbir aos novos tempos. A grande influência da televisão com seus filmes, as badaladas novelas, o vídeo cassete... E o Cine Lux vai perdendo seu público, evidenciando a cada ano o seu declínio. Deixa de exibir filmes diariamente e alterna as projeções nos dias da semana, sem resultados compensatórios, e, sem nenhum incentivo, fecha suas portas em 1989. Localizado na Rua Jerônimo Rosado com esquina para a Rua João Pereira Fontes, o Cine Lux foi um grande marco na vida sociocultural de Pombal. Memorável e inesquecível a quem por ele passou.
 

Verneck Abrantes*
*Escritor e Historiador pombalense.
O que não provoca minha morte faz com que eu fique mais forte.
 
Friedrich Nietzsche

Foto do dia

O "beijo" dos caracóis. Foto: Vyacheslav Mischenko / Caters

Professores obesos são impedidos de darem aulas

A coluna de hoje não é sobre beleza, mas como o IMC (Índice de Massa Corporal) dos professores afetam o aprendizado dos alunos. Você deve estar pensando que saiu uma nova pesquisa que diz: “quanto mais gordo é o professor, menos o aluno vai aprender”. Mas não, essa pesquisa não existe. O que nós e nossos filhos aprendemos na escola nada tem a ver com a forma física de nossos professores. Ao menos não deveria ter. Porém, para o Estado de São Paulo o peso dos profissionais da Educação conta muito mais do que o conhecimento e títulos que eles possuem.
 
Isso mesmo, professores altamente gabaritados, com pós-graduação, mestrado, doutorado e que poderiam ministrar aulas em grandes universidades estão sendo impedidos de tomarem posse de seus cargos. Embora tenham dom, amor ao ensino e aos jovens e queirem repassar conhecimento a alunos de escolas públicas, no caso em questão escolas estaduais, estão sendo proibidos de darem aulas.
 
Isso porque quando passam pela perícia médica, mesmo apresentando exames de saúde acusando índices absolutamente normais, eles possuem um IMC elevado. O que isso quer dizer? Que eles são considerados obesos mórbidos e, por isso, os médicos peritos não os consideram aptos a lecionar, ou seja, é como se fossem pessoas doentes e incapazes de exercerem suas atividades.
 
O argumento é que o Estado possui normas e elas precisam ser seguidas. Além disso, avaliam não apenas a capacidade laboral momentânea, mas fazem um prognóstico da vida funcional de uma carreira que vai durar em torno de 30 anos. A leitura que eu faço disso é a seguinte: se você é gordo e saudável, sinto muito, mas não pode prestar concurso público. Isso porque amanhã você vai estar muito doente e nós não vamos bancar mais nenhum gordo doente. Emagreça, porque magros nunca adoecem.
 
Voltando ao IMC, ele tem sido questionado pela própria medicina. A Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade (ABESO) afirma que não é o melhor método para medir o risco à saúde de uma pessoa. Pois problemas cardiovasculares, por exemplo, têm mais a ver com a concentração de gordura na região da cintura do que com o IMC da pessoa.
 
Uma das publicações científicas mais respeitadas no meio médico, o Journal of the American Medical Association, publicou recentemente que pesquisadores descobriram que pessoas com IMC entre 25 e 30 tinham 6% a menos de chance de risco de morte se comparados com aqueles que são vistos como saudáveis e possuem IMC entre 18,5 e 24. O estudo avaliou 2,9 milhões de pessoas.
 
Ou seja, parece no mínimo incoerente e absurdo proibir profissionais de tomarem posse de seus cargos excluindo todos os outros exames solicitados e considerando apenas o IMC. O que se nota, e existe também pesquisas que comprovam isso, é que médicos, como se fossem só eles, são intolerantes com pacientes gordos. Pasmem, mas eles, que que deveriam ter tolerância porque estudam, lidam diretamente com o problema e sabem que a obesidade pode advir de muitos fatores, simplesmente são os primeiros a detestar ter que ver entrar um gordo pela porta de seus consultórios.
 
E são esses mesmos profissionais que muitas vezes apenas olham os números de nossos exames e sequer encostam na gente para nos examinar ou ainda saber nosso histórico de doenças e familiar. Além disso, afirmam que não somos aptos a desenvolver algum tipo de trabalho. Afinal, podemos ter um peso e este aparentemente nos deixar fora dos padrões rígidos da estética magra predominante, mas também pdoemos ser perfeitamente saudáveis. Até porque há muita gente em muita boa forma mas seus exames indicam índices de saúde preocupantes.
 
De acordo com pesquisas, sim, mais pesquisas, realizadas no mundo todo, há um paradoxo da obesidade que comprova que nem sempre o mais magro é o mais saudável. Sendo assim, a cultura predominante de que o gordo é sempre o doente parece cegar as pessoas.
 
Quebrar paradigmas, regras, preconceitos não é tarefa fácil e para as mulheres ainda é mais árduo do que para os homens. Somos ainda discriminadas em vários aspectos e temos sempre que provar o quanto somos boas, mesmo sendo ótimas em tudo o que nos propomos fazer. O mercado de trabalho nos paga menos do que paga para o sexo masculino, temos que estar sempre impecáveis, e mulheres gordas, com filhos pequenos e fumantes têm menos chances ainda de serem bem-sucedidas e, muitas vezes, contratadas. Mas nem que seja aos poucos, e isso demanda mesmo otimismo e muita vontade, vamos mudar o cenário.
 
Ana Carolina Buzzo Marcondelli, 30 anos, bióloga; Bruna Giorjiani de Arruda, 28 anos, socióloga; e Vanessa Oliveira, 32 anos, bióloga. Todas elas fazem parte do grupo de professores que estão sendo expostos ao constrangimento de terem que lutar por um lugar que é deles por direito adquirido. Cada uma tem uma história de vida, mas as três tem uma só paixão: a educação. E é absurdo pensar que tantos jovens podem ser privados de receberem ensino de qualidade por regras retrógradas.
 
Hoje no Facebook tem uma página em prol desse absurdo e que vale a pena ver: ‘Nunca soube o IMC da minha professora, mas sei o que ela me ensinou”. E a hashtag é ‘NuncasoubeoIMC’. São diversas pessoas que apoiam, antes de tudo, a capacidade intelectual das pessoas.
  
 
* Keka Demétrio é uma gorda muito bem resolvida que acredita que a felicidade não se mede com fita métrica.


Fonte aqui

quarta-feira, 26 de março de 2014

Prefeito crucificado

História saborosa do folclore político pernambucano relata o dia em que Aredo Soares (PDS), prefeito de Olinda nos anos 70, convidou amigos e todo o secretariado para assistir ao espetáculo da Paixão de Cristo, encenada nas escadarias das igrejas da cidade. Na cena em que o destino de Jesus passa pelas mãos de Pôncio Pilatos, ouviu-se a célebre pergunta:
 
- A quem queres que eu liberte: o rei dos judeus ou o ladrão Barrabás?
 
Um gaiato, inimigo do prefeito, gritou uma injustiça no meio da platéia:
 
- Solta os dois e prende o Aredo!
 
 
Diário do Poder

Redação do concurso da Volkswagen

No processo de seleção da Volkswagen do Brasil, os candidatos deveriam responder à seguinte pergunta: 'Você tem experiência' ?

A redação abaixo foi desenvolvida por um dos candidatos. Ele foi aprovado e seu texto está fazendo sucesso, e com certeza será sempre lembrado por sua criatividade, sua poesia, e acima de tudo por sua alma.

REDAÇÃO VENCEDORA:

Já fiz cosquinha na minha irmã pra ela parar de chorar,
Já me queimei brincando com vela. Eu já fiz bola de chiclete e melequei todo o rosto,
Já conversei com o espelho, e até já brinquei de ser bruxo.
Já quis ser astronauta, violonista, mágico, caçador e trapezista.
Já me escondi atrás da cortina e esqueci os pés pra fora.
Já passei trote por telefone.
Já tomei banho de chuva e acabei me viciando.
Já roubei beijo.
Já confundi sentimentos.
Já peguei atalho errado e continuo andando pelo desconhecido.
Já raspei o fundo da panela de arroz carreteiro,
Já me cortei fazendo a barba apressado,
Já chorei ouvindo música no ônibus.
Já tentei esquecer algumas pessoas, mas descobri que essas são as mais difíceis de se esquecer.
Já subi escondido no telhado pra tentar pegar estrelas,
Já subi em árvore pra roubar fruta.
Já caí da escada de bunda.
Já fiz juras eternas,
Já escrevi no muro da escola,
Já chorei sentado no chão do banheiro,
Já fugi de casa pra sempre, e voltei no outro instante.
Já corri pra não deixar alguém chorando.
Já fiquei sozinho no meio de mil pessoas, sentindo falta de uma só.
Já vi o por-do-sol cor-de-rosa e alaranjado,
Já me joguei na piscina sem vontade de voltar,
Já bebi uísque até sentir dormentes os meus lábios,
Já olhei a cidade de cima e mesmo assim não encontrei meu lugar.
Já senti medo do escuro, já tremi de nervoso,
Já quase morri de amor, mas renasci novamente pra ver o sorriso de alguém especial.
Já acordei no meio da noite e fiquei com medo de levantar.
Já apostei em correr descalço na rua.
Já gritei de felicidade.
Já roubei rosas num enorme jardim.
Já me apaixonei e achei que era para sempre, mas sempre era um 'para sempre' pela metade.
Já deitei na grama de madrugada e vi a Lua virar Sol.
Já chorei por ver amigos partindo, mas descobri que logo chegam novos, e a vida é mesmo um ir e vir sem razão.
Foram tantas coisas feitas, momentos fotografados pelas lentes da emoção, guardados num baú, chamado coração.
E agora um formulário me interroga, me encosta na parede e grita: 'Qual sua experiência?'.
Essa pergunta ecoa no meu cérebro: experiência...experiência...
Será que ser 'plantador de sorrisos' é uma boa experiência?
Sonhos!!! Talvez eles não saibam ainda colher sonhos!
Agora gostaria de indagar uma pequena coisa para quem formulou esta pergunta:
Experiência? 'Quem a tem, se a todo o momento tudo se renova?'.
 
 

Rivaldo

Aposentou-se um dos melhores jogadores brasileiros dos últimos vinte anos. Rivaldo está com 41, provavelmente não tem problemas financeiros, e se eu tivesse feito dez por cento do que ele fez já estava aposentado há muito mais tempo. Rivaldo é um dos jogadores menos carismáticos que já ganharam finais de Copa ou foram eleitos o melhor do mundo. Ele é aquele cara caladão, arredio, que não gosta de muito gracejo nem de muita conversa fiada. Meio sertanejo nesse modo que parece carrancudo mas na verdade é só cauteloso, principalmente num meio em que os jogadores são obrigados a agir como garotos-propaganda de si mesmos, do time, da seleção, de um monte de produtos que os financiam. Rivaldo deve ter feito lá seus comerciais; todo mundo fez; mas não é propriamente aquele cara que um empresário perca o sono querendo associar a ele a sua marca.

Diz-se que Rivaldo não gostava de pagode, não bebia, não era de muita conversa, embora fosse correto e atencioso com os colegas. Jogadores assim se impõem quando há respeito técnico (em geral, quando um cara é craque todo mundo percebe) e um equilíbrio de convivências. Jogador extrovertido e risonho vai pro Cazaquistão sem falar nem inglês e se dá bem, fica amigo de todo mundo. Já o carrancudo cria clima até na casa onde mora.

O futebol de Rivaldo tinha aqueles passes de cinquenta metros de Zezinho Ibiapino, de Gérson, de Falcão, uma matada de bola perfeita, um chute seco da entrada da área que ele botava onde queria. Ficou meio marcado na Seleção por algumas derrotas, ainda na fase olímpica, mas o que ganhou depois apagou tudo.

Muitos jornalistas concordam que o maior jogador da Copa de 2002 não foi o craque oficial (Oliver Kahn) nem o artilheiro (Ronaldo), e sim o nosso macambúzio armador, que fez com frieza e talento alguns gols decisivos e facilitou gols alheios. Na final contra a Alemanha, machucado, teve parceria nos dois gols de Ronaldo. O que fez no Barcelona está preservado em DVDs e YouTubes. Gosto de lembrar uma vitória por 3x2 no Nou Camp cheio, com três gols dele, o último no último minuto, de bicicleta. O mundo veio abaixo. Pensam que aquele barulho começou com Messi?

Rivaldo é como aqueles cantadores velhos que, quando o vento do mundo ficou mais frio, não fazem festa nem fazem despedida. Sabem que o momento torrencial já passou e que não precisam se espremer até a última gota. Quando sentem que não estão mais à altura da grande arte, quando sentem que a arte deles já está indo embora e eles ficando para trás, não avisam a ninguém, não querem homenagem, não querem incomodar ninguém. Quando chega o ano que vem, eles simplesmente não viajam mais.
 
Bráulio Tavares

terça-feira, 25 de março de 2014

Charge

Versículos do dia

E ouviram a voz do Senhor Deus, que passeava no jardim pela viração do dia; e esconderam-se Adão e sua mulher da presença do Senhor Deus, entre as árvores do jardim. Gênesis 3:8
 
E não há criatura alguma encoberta diante dele; antes todas as coisas estão nuas e patentes aos olhos daquele com quem temos de tratar. Hebreus 4:13

Retrato de Maria Lúcia

Tu vens de longe; a pedra
Suavizou seu tempo
Para entalhar-te o rosto
Ensimesmado e lento

Teu rosto como um templo
Voltado para o oriente
Remoto como o nunca
Eterno como o sempre

E que subitamente
Se aclara e movimenta
Como se a chuva e o vento

Cedessem seu momento
À pura claridade
Do sol do amor intenso!



Marcos Vinicius da Cruz de Mello Moraes, ou Vinicius de Moraes

Três cidades brasileiras estão entre as dez mais violentas do planeta

No último domingo (16), o Fantástico mostrou como é viver na cidade mais violenta do mundo - San Pedro Sula, em Honduras. Neste domingo (23), os nossos repórteres viajaram pelas três cidades brasileiras que estão entre as dez mais violentas do planeta. Uma delas, vai receber jogos da Copa do mundo.
 
Nestes locais se mata por qualquer motivo: paixão, discussão, tráfico. “A morte é sempre entre 15, 21, 22 anos. Não passa disso”, destaca um policial.
 
Uma pessoa assassinada a cada duas horas. O crime é bem perto das autoridades. O que impressiona é que a venda de drogas funciona bem em frente à delegacia.
 
Durante um mês, o Fantástico percorreu as cidades brasileiras que aparecem no ranking das dez mais violentas do planeta entre as que não estão em guerra: Maceió, Fortaleza e João Pessoa. O levantamento foi feito por um respeitado grupo de estudos mexicano.
 
Leia mais clicando aqui
 
 
G1

Frase

"Os acontecimentos revelados pela imprensa sobre malfeitos na Petrobras são de tal gravidade que a própria titular da Presidência, arriscando-se a ser tomada como má gestora, preferiu abrir o jogo e reconhecer que foi dado um mau passo no caso da refinaria de Pasadena.
 
Fernando Henrique Cardoso, ao apoiar CPI para investigar a Petrobras

segunda-feira, 24 de março de 2014

Avião da Malaysia Airlines caiu e não há sobreviventes, diz premiê malaio

O premiê da Malásia, Najib Razak, anunciou na manhã desta segunda-feira (24) que o avião da Malaysia Airlines desaparecido desde o dia 8 de março caiu no sul do oceano Índico, longe de sua rota original, e que não há sobreviventes entre os 239 ocupantes.
 
"É com profunda tristeza e profundo pesar que devo informar que o voo MH370 acabou no sul do oceano Índico", anunciou o premiê em coletiva de imprensa convocada extraordinariamente.
 
"Nesta noite, recebi informações de representantes do Setor de Investigações de Acidentes Aéreos do Reino Unido [AAIB]. [A empresa] Inmarsat, que forneceu as informações de satélite (...), havia feito cálculos adicionais", disse o premiê.
 
"Com base nas novas análises, o Inmarsat e o AAIB concluíram que a última posição do MH370 foi no meio do oceano Índico", afirmou ainda. "Usando um tipo de análise nunca antes utilizada em uma investigação desse tipo, eles conseguiram jogar mais luz sobre a trajetória de voo do MH370."
 
Por fim, Razak disse que uma nova coletiva, na terça-feira (25), trará mais detalhes sobre o caso.
 
O anúncio veio momentos depois de que a companhia aérea divulgou nota em que dizia: "Lamentamos profundamente dizer que temos de assumir, além de toda dúvida, que o MH370 sumiu e que nenhum daqueles a bordo sobreviveu. Temos de aceitar que todas as evidências sugerem que o avião caiu no sul do oceano Índico".
 
Antes, familiares dos ocupantes do voo haviam sido convocados para uma reunião extraordinária com autoridades da Malásia . Segundo a rede de TV SkyNews, eles receberam a opção de serem transportados em voos fretados para a Austrália.
 
Desde a semana passada, as buscas pela aeronave vinham se concentrando numa região a 2.500 km da costa sudoeste da Austrália, onde pedaços que seriam do avião foram localizados.
 
O voo MH370 desapareceu cerca de 40 minutos após decolar de Kuala Lumpur com destino a Pequim, na China.
 
Uma operação de buscas composta por pelo menos 26 países foi montada. Satélites de pelo menos 15 países foram utilizados para localizar o avião.
 
Segundo o comunicado divulgado no site da companhia, o avião transportava 227 passageiros, entre eles cinco crianças, e uma tripulação de 12 pessoas. Entre os passageiros havia 153 chineses, 38 malaios, 12 indonésios, 7 australianos, 4 americanos, 3 franceses, 2 neozelandeses, 2 ucranianos, 2 canadenses, 1 russo, 1 holandês e 1 cidadão de Taiwan. Dois iranianos viajaram com passaportes falsos (austríaco e italiano).
 
 
O mistério continua.
 
Várias teorias foram cogitadas para explicar o desaparecimento do avião, entre elas sequestro, falha humana, falha mecânica e até mesmo uma desintegração da aeronave em pleno ar.
 
Ao longo de 16 dias, a falta de informações sobre o paradeiro da aeronave causou desentendimentos entre os governos da Malásia, do Vietnã e da China, além de desespero nos parentes.
 
Apesar do anúncio desta segunda, o mistério em torno do desaparecimento do voo permanece. Ainda não está claro, por exemplo, por que o avião mudou de rota, por que as comunicações foram desligadas e nem por que ele continuou em voo por mais de sete horas após sumir dos radares.
 
Piloto e copiloto foram alvo de intensas investigações, que também atingiram demais membros da tripulação e passageiros.
 

 
Uol com agências internacionais

Amavisse

Como se te perdesse, assim te quero.
Como se não te visse (favas douradas
Sob um amarelo) assim te apreendo brusco
Inamovível, e te respiro inteiro


Um arco-íris de ar em águas profundas.
  
Como se tudo o mais me permitisses,
A mim me fotografo nuns portões de ferro
Ocres, altos, e eu mesma diluída e mínima
No dissoluto de toda despedida.


Como se te perdesse nos trens, nas estações
Ou contornando um círculo de águas
Removente ave, assim te somo a mim:
De redes e de anseios inundada.



Hilda de Almeida Prado Hilst

Fifa tira do ar reportagem com críticas ao Brasil após governo pedir

A Fifa divulgou material para estrangeiros que visitarão o Brasil durante a Copa do Mundo. Reprodução
 
Depois da repercussão negativa, a Fifa retirou do ar a reportagem Brasil para principiantes, publicada na última edição de sua revista semanal digital. A decisão foi tomada após o governo federal brasileiro entrar em contato com a entidade, informou a assessoria de imprensa do Ministério do Turismo.
 
"O governo federal tomou conhecimento das imagens publicadas na revista eletrônica The Fifa Weekly, divulgada nesta sexta-feira. Em contato com a Fifa, fomos informados que prontamente o material seria retirado do ar".
 
Na matéria, que dava dicas para turistas que visitam o País pela primeira vez para a Copa do Mundo, a Fifa descreve os brasileiros como, entre outros adjetivos, sem pontualidade, inclusive com o prazo para entrega dos estádios, e mal educados no trânsito.
 
Leia mais clicando aqui
 
 
O Estado de S. Paulo

Joaquim Barbosa

"Sou um companheiro inseparável da verdade. Não suporto essa coisa do sujeito ficar escolhendo palavrinhas para fazer algo inaceitável. E isso é da nossa cultura.
 
Joaquim Barbosa, presidente do STF, em entrevista a Roberto D' Ávila na Globo News

Risco de engordar ao consumir fritura varia de acordo com a genética

Indivíduos com propensão genética a engordar acumulam mais gordura do que os outros ao consumir alimentos fritos com frequência

Os resultados de um estudo publicado nesta terça-feira (18) mostram que a ingestão frequente de fritura (mais de quatro vezes por semana) tem o dobro de impacto no índice de massa corporal (IMC) de pessoas com propensão genética a engordar do que para pessoas com risco menor. Em outras palavras, a genética de um indivíduo pode turbinar os efeitos de uma dieta inadequada.

Sabe- se que tanto o consumo de alimentos fritos quanto certas variantes genéticas estão associadas à adiposidade (concentração de gordura no corpo). No entanto, a interação entre esses dois fatores de risco em relação ao IMC e obesidade não havia sido estudada.

Uma equipe de pesquisadores norte-americanos, liderados por Lu Qi, professor assistente da Escola de Saúde Pública de Harvard e do Hospital Brigham and Women's analisou a interação entre o consumo de fritura e o risco genético ligado à obesidade em mais de 37 miol homens e mulheres que participam de três grandes testes.

Os pesquisadores usaram questionários de frequência alimentar para avaliar o consumo de alimentos fritos e um escore de risco genético com base em 32 variações genéticas conhecidas associadas ao IMC e à obesidade.

Foram estabelecidas três frequências de consumo de alimentos fritos: menos de uma vez por semana, de uma a três vezes por semana, e quatro ou mais vezes por semana. Os escores de risco genético variaram de 0 a 64 e aqueles com uma pontuação mais elevada tinham um IMC mais elevado.

A altura e o peso dos participantes foram avaliados no início dos testes. Informações sobre estilo de vida, como prática de atividade física e tabagismo, também foram coletadas.

Os pesquisadores descobriram interações consistentes entre o consumo de alimentos fritos e escores de risco genético ligados ao IMC.

Entre os participantes com maior risco genético, as diferenças entre o IMC dos indivíduos que consumiam frituras quatro ou mais vezes por semana e aqueles que consumiam menos de uma vez por semana foram de 1,0 kg/m2 em mulheres e de 0,7 kg/m2 em homens.

Para os participantes com os escores mais baixos de risco genético, as diferenças foram de 0,5 kg/m2 em mulheres e de 0,4 kg/m2 em homens.

Os autores ressaltam que os resultados podem ter sido afetados por outros fatores não medidos ou desconhecidos, apesar de terem sido ajustados para vários fatores de estilo de vida.

No entanto, eles acreditam a associação entre o consumo de alimentos fritos e a adiposidade pode variar de acordo com as diferenças de predisposição genética. E vice-versa: as influências genéticas sobre a adiposidade podem ser modificadas pelo consumo de frituras.

"Nossos resultados ressaltam a importância de se reduzir o consumo de alimentos fritos na prevenção da obesidade, particularmente em indivíduos geneticamente predispostos", diz Lu Qi.

"Este trabalho oferece uma prova da interação entre risco genético e meio ambiente na obesidade", escreveram as especialistas Alexandra Blakemore e Jessica Buxton, do Imperial College de Londres, em um editorial.

Elas acreditam que o resultado não deve influenciar políticas públicas de saúde, visto que a recomendação de evitar fritura vale para todo mundo. Por outro lado, elas ressaltam que a informação

Por outro lado, eles ressaltam que a informação genética pode ser muito útil para o tratamento de formas "monogênicas" de obesidade, quando a doença é causada por alterações em um único gene. Para elas, seria uma vergonha ignorar a genética no tratamento da obesidade, portanto é importante que mais estudos sejam feitos para ajudar a estratificar os pacientes para fornecer cuidados e tratamentos adequados.

Fonte: UOL

domingo, 23 de março de 2014

Don't Let The Sun Go Down On Me - Sucesso de 1991 (Elton John e George Michael)


Lua adversa

Tenho fases, como a lua
Fases de andar escondida,
fases de vir para a rua...
Perdição da minha vida!
Perdição da vida minha!
Tenho fases de ser tua,
tenho outras de ser sozinha.

Fases que vão e vêm,
no secreto calendário
que um astrólogo arbitrário
inventou para meu uso.

E roda a melancolia
seu interminável fuso!
Não me encontro com ninguém
(tenho fases como a lua...)
No dia de alguém ser meu
não é dia de eu ser sua...
E, quando chega esse dia,
o outro desapareceu...


Saudosa maloca -1957 - Na voz de Demônios da Garoa


A arte de "dar o perdido" e não ser achado

“Dar um perdido” sem deixar pistas, por causa das mil e uma novidades tecnológicas, é algo cada vez mais raro ou estou enganado? Creio que seja mesmo impossível.
 
Pelo menos ficou bem mais difícil a operação ou a mentira. Recentemente vi muitos “perdidos” desmascarados ao simples descuido de uma foto nas redes sociais etc. Por mais que a criatura se esconda, é de altíssimo risco –era facílimo pré-celular, localizadores e toda essas novas geringonças.
 
Pelo menos agora requer muita cara de pau do rapaz ou da rapariga, além de uma boa habilidade tecnológica para desviar os aparelhos, evitar os radares etc.
 
Trai-se hoje como no tempo de Madame Bovary. A descoberta, porém, beira os 90%, apurou o meu Databoteco.
 
Como “dar o perdido” sem ser descoberto na mentira depois? No “Yahoo! Respostas”, fonte de diversão pura, uma moça chamada Felina, que aparece em biquíni à prova de sumiços, dá a dica a uma jovem colega:
 
“Fala que vai dormir na casa de uma tia, pois ela vai fazer um exame e precisa de companhia para ficar com ela…Ou diz que ficou dopente, que pegou gripe suina rsrs…. E pede para sua mãe ou alguém da sua casa, quando atender o telefone, confirmar a historia…”
 
Há a preocupação em amarrar todos os pontos ou as pontas, como queira. Outras respostas advertem: vale na hora, mas com o tempo as provas do crime aparecem nas redes sociais.
 
Reparo que existe uma diferença entre o truque masculino e o feminino.
 
No caso dos homens, a incapacidade de construir uma narrativa verossímil piora mais ainda a justificativa do “perdido”. Somos fantasiosos demais da conta, um desastre.
 
Na ficção do “perdido” , o macho é do realismo-fantástico, é cada história de fazer corar o Gabriel Garcia Márquez; a fêmea tem uma prosa mais enxuta, certeira e crível, seja ou não verdadeira a história que conta.
 
Mulher está mais, nesse aspecto, e somente nesse aspecto, para o texto seco e mortal do romance policial ou “noir” americano, escola de Dashiell Hammett, Chandler etc.
 
Homem é capaz de dizer que foi abduzido, que esteve na Ilha de Lost, que era um dos passageiros do avião desaparecido da Malásia.
 
É, amigos da Bahia, “dar o zig now” ou simplesmente “o zig”, como se diz em Salvador, não é mais arte para amadores.
 
“Zig now” ou “Zignal”, como já abrasileirado pelo grupo “Harmonia do Samba”, teria origem no termo “sign out”, quando você cai fora de um site, por exemplo. Boto fé.
 
Atitude sorrateira também conhecida como “dar o ninja” , o “perdido” ao qual me refiro não é aquele simples bolo de uma história que ainda não engatou. Ai é coisa de homem frouxo mesmo, meu caro, o homem-de-Ossanha tão marcante no nosso tempo –o homem que diz vou e não vai, como na canção de Vinícius e Baden Powell.
 
Tampouco falo do “perdido” clássico das antigas, aquele de sair para comprar cigarro e voltar dali a dias ou, em alguns casos, nunca mais. Não, não se fuma mais o king size do abandono dessa forma.
 
“Dar um ninja”, escapulida que rendeu o nome deste motel no bairro da Várzea, no Recife (foto) está cada vez mais difícil. Nem pense, amigo, que ela não sacou tudo. Apenas fingiu de lesa. Tua batata está assando a mil graus em um forno profissa.
 
§§§

 
Agora vamos à oficina literária do “perdido”. Qual foi, amigo(a), a justificativa mais “escrita criativa” ou maluca que você já ouviu?
 

 
Xico Sá

Fotografia 3x4” de Belchior  na versão da banda mineira Transmissor.

Joaquim Barbosa faz representação contra colunista do GLOBO

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Joaquim Barbosa, fez representação criminal contra o jornalista do GLOBO Ricardo Noblat, acusando-o pelos crimes de injúria, difamação e preconceito racial.
 
Em ação encaminhada ao Ministério Publico Federal (MPF), Barbosa se disse ofendido pela publicação da coluna de Noblat do dia 18 de agosto de 2013. No texto, Noblat trata da indicação de Barbosa para a Suprema Corte e da intenção de Lula em ter um integrante negro na Casa.
 
A procuradora do MPF no Rio Guilhon Dore, por sua vez, aceitou a argumentação do ministro Joaquim Barbosa e denunciou o jornalista do GLOBO à Vara Criminal da Seção Judiciária do Rio de Janeiro.
 
O texto de Noblat que motivou a ação de Barbosa foi publicado após o presidente do STF discutir em plenário com o colega Ricardo Lewandowski durante uma das sessões do julgamento do mensalão.
O jornalista só se pronunciará após receber notificação sobre a representação. O gabinete de Barbosa informou que ele não comenta o caso.
 
 
O Globo

Os limites do permitido

Está marcada para hoje em SP a reedição da Marcha da Família com Deus pela Liberdade, organizada pelos que, insatisfeitos com o presente, acham que a solução é a volta dos militares ao poder. Muita gente considera o ato uma provocação, no momento em que são reveladas as atrocidades cometidas pela ditadura implantada no país há meio século.
 
Como contrapartida, também está sendo convocada a Marcha Antifascista. São manifestações que fazem parte do jogo democrático, desde que realizadas dentro da ordem. No primeiro caso, ressalte-se a curiosa contradição: vão pedir o retorno de um regime que se caracterizou justamente pela proibição de protestar. É usar a democracia para tentar acabar com ela.
 
O pretexto é o mesmo do passado: temor de um golpe comunista, num país em que foi mais fácil pôr fim ao comunismo do que ao eterno anticomunismo. Há dias, o ex-ministro José Serra, presidente da UNE em 1964, escreveu que “nada mais fantasioso do que supor que o Brasil pudesse virar uma Cuba ou que a esquerda, em 63-64, estivesse armada”.
 
O mesmo poderia ser dito hoje. Mas, nas palestras e debates desse concorrido ciclo sobre os 50 anos do golpe, a democracia tem sido muito questionada, principalmente pelos jovens.
 
Há uma certa nostalgia de um tempo idealizado, não vivido, estimulada por aqueles mais velhos que acham que tudo piorou: a corrupção, a impunidade, a violência urbana, o crime organizado, a lentidão da Justiça, a banda podre da polícia, a inoperância enfim das instituições. Será que isso já não existia naquela época?
 
De uma maneira ou de outra, claro que sim, só que a opinião pública não sabia, a censura não deixava. Com a liberdade de imprensa e a disputa de mercado, sabe-se tudo. Se um veículo não publica, o concorrente escancara. E assim temos um país que às vezes cheira mal, tem aspecto ruim, mas é um nervo completamente exposto.
 
Essa superexposição, porém, não pode servir de álibi para não se corrigir as mazelas de um sistema imperfeito com cara de impotente. Não basta expor os defeitos, é preciso corrigi-los. Uma indignação resignada, feita de críticas e denúncias, está criando uma espécie de inconformismo conformado, sem poder de transformação.
 
Na política, a hipocrisia, em que se finge ser o que não se é, foi substituída pelo cinismo, em que se assume o que se é, mas trocando os sinais. O vício vira virtude e o culpado posa de vítima, como no caso dos mensaleiros.
 
A verdade é que há limites de permissividade sendo testados. Protestos rotineiros com ônibus incendiados e quebra-quebra por qualquer motivação são apenas um exemplo. O mais grave, no entanto, é a prática da justiça pelas próprias mãos. Num momento de confusão como o atual, é preciso ficar claro que democracia é tolerância, mas não leniência, é liberdade com lei, não anarquia.
 
Zuenir Ventura é jornalista.

sexta-feira, 21 de março de 2014

A anexação da Crimeia foi a mais suave invasão dos tempos modernos. Ela terminou antes mesmo que o mundo se desse conta de que havia começado.
 
E até 18 de março, quando um grupo armado pró-Rússia atacou uma pequena base do Exército ucraniano em Simferopol – assassinando um oficial e ferindo outro –, a invasão vinha ocorrendo sem derramamento de sangue.
 
Durante boa parte do mês de fevereiro, milhares de soldados foram mandados silenciosamente para bases russas situadas na Crimeia com base em um tratado antigo entre Kiev e Moscou. "Voluntários" civis também foram levados para essas unidades. O plano foi executado secretamente e teve sucesso.

Desaparecimento do avião da Malásia levanta teorias

Desde que o voo MH370 da Malaysia Airlines desapareceu no mar da China durante sua viagem de Kuala Lumpur para Pequim, diversas teorias surgiram sobre o que pode ter acontecido ao Boeing 777. Reunimos algumas destas hipóteses sobre o mistério que circunda o sumiço do avião que intriga o mundo.

Uma das mais recentes hipóteses sobre o desaparecimento surgiu do ex-piloto Chris Goodfellow, que aventou a possibilidade de mudança na direção e perda de comunicação como resultado de um incêndio a bordo do jato. O fogo teria danificado as comunicações a bordo e a mudança de direção teria sido uma tentativa de rumar para o aeroporto mais próximo, em Langkawi, mas o avião pode ter ficado sem combustível antes de chegar.

O piloto Zaharie Ahmad Shah foi apontado como possível sequestrador que teria desligado as comunicações e colocado o avião fora do caminho. A polícia da Malásia investiga Shah, que tinha um simulador de voo no computador pessoal e foi classificado como 'fanático político' .

Alguns alegam que os pilotos deliberadamente derrubaram o avião no oceano. Duas garotas, declararam ter passado todo um voo anterior dentro da cabine com Hamid, o que é terminantemente proibido pela companhia aérea, o que levantou dúvidas sobre sua integridade. A última comunicação que partiu do avião foi Hamid dizendo 'Tudo bem, boa noite'.

O primeiro-ministro da Malásia, Najib Razak, disse em uma coletiva de imprensa uma semana depois do desaparecimento que o movimento da aeronave tinha a aparência de uma 'ação intencional' de alguém colocando o avião fora do seu plano de voo. Ele acrescentou que uma busca no mar do Sul da China seria suspendida, aumentando as especulações de que o avião teria sido sequestrado.

Teria sido o Boeing da Malásia o primeiro avião a ser 'cyber-sequestrado'? Um especialista em terrorismo do Reino Unido declarou que seria possível ‘hackear’ o sistema de controle do avião e mudar velocidade, altitude e rota. Dr. Sally Leivesley acrescentou que hackers poderiam também ter pousado ou derrubado o avião.

Autoridades declararam que a única carga a bordo do voo MH370 era um carregamento de quatro toneladas de frutas. Isto fez com que pessoas acreditassem que seria fácil esconder uma bomba nesta carga e a polícia agora investiga se a bomba causou este desaparecimento.

O fato de que o voo MH370 aparentemente desapareceu sem deixar vestígios causou toda sorte de especulação sobre o instante da catástrofe. Uma possível explicação que tem sido aventada é que o avião tenha sido atingido por um grande meteoro que o desintegrou imediatamente.

A Freescale Semiconductor é uma fabricante de poderosos microchips e lançou uma nova arma de guerra eletrônica para sistemas de radar militares uma semana antes do desaparecimento do Boeing da Malásia. A companhia tinha 20 pessoas 'muito importantes' no avião, o que despertou teorias de espionagem industrial e de destruição desta nova tecnologia.

Seja parte de uma trama terrorista, espionagem sobre a Freescale ou uma ação da Coreia do Norte, algumas pessoas acreditam que a razão para que as comunicações tenham sido subitamente perdidas e nenhum vestígio tenha sido encontrado é que o avião teria sido abatido por um míssil.


Fonte aqui